Archive | junho, 2011
Article

Faça o seu Altar – Qui. 30/06

“porém eu e a minha casa serviremos ao SENHOR” Josué 24:14

A plano de Deus para nossa vida sempre foi voltado para o nosso bem. Deus criou o homem e a mulher para que juntos instituíssem uma família para que houvesse harmonia e adoração. Uma família de acordo com o que Deus criou possui uma base sólida e forte conseguindo enfrentar qualquer problema que possa ocorrer.

Mas, o que vemos hoje como “Família” está de acordo com os planos de Deus?

Nas novelas, filmes, seriados, revistas, sempre existe uma família. O modelo que nos é colocado é uma família onde os pais são divorciados, os filhos possuem tudo o que desejam, filhos não respeitam os pais, filhos que iniciam relacionamentos avançados dentro da própria casa e com permissão dos pais. Não existe mais a figura paterna e materna neste modelo. E percebam que esse tipo de modelo, no final tudo da certo, é o modelo que sempre traz a felicidade, prazer, etc. Cada um tem a sua individualidade fazendo o que bem entende. Todos são livres para escolher o que querem. Agora, já pararam para ver o modelo da família pobre, coitada, sofrida que nos é mostrado? Veja que interessante; Geralmente são pobres, passam por necessidade, moram em bairros humildes, sofrem preconceito e muito, mas muito provavelmente são cristãos. O que é passado para nossa mente é que ser um cristão, é uma porcaria, só vai sofrer, não tem prosperidade, mas o outro modelo MODERNO que os pais não são casados, mães que decidem ser mães solteiras este sim é o modelo correto que nos é colocado na mente.

Será que é preciso dizer o motivo de tanta desgraça nas famílias? Cade o alicerce? As pessoas passam a ter isso em mente e passam a seguir aquilo que vêem todos os dias. Passam a seguir o lixo que nos é colocado na mente. Deus foi tirado do modelo. Porque o modelo de Deus (como alguns dizem, dos crentes) é motivo de piada, é antigo.

O que Deus quer para sua vida é simples. Ele quer que você ame a sua família, que respeite seus filhos e cônjuge, que respeite seus pais, que seja honesto. Deus quer que você permita que ele faça parte da sua vida e da sua casa. A família que possui comunhão com Deus jamais será afetada pois Deus prometeu que não iria descuidar de suas ovelhas que somos nós.

“Portanto livrarei as minhas ovelhas, para que não sirvam mais de rapina, e julgarei entre ovelhas e ovelhas.” Ezequiel 34:22
“E não servirão mais de rapina aos gentios, as feras da terra nunca mais as devorarão; e habitarão seguramente, e ninguém haverá que as espante.” Ezequiel 34:28

Deus protege, Deus alivia a dor, Deus promete e cumpre.

Quebrar uma linha é simples, agora, pegue um punhado de linhas e faça uma corda e tente quebrar, é difícil não? Pois uma família sem Deus é como uma simples linha, fácil de se quebrar, mas uma família com Deus é como corda, difícil e quase impossível de romper.

Você é livre pra escolher o que bem entende, é livre para ver, ler, ouvir o que quiser. O controle remoto é seu, ele não te obriga a nada. Vai de você selecionar o que deve entrar na sua casa e afetar a sua vida.

Que tipo de altar você está levantando em sua casa?

Fernando de Oliveira Carvalho

Faça seu comentário
Article

Adoração e Sacrifício – Qua. 29/06

A história de Abraão é seguida de sacrifícios. Logo no começo nos surpreendemos com um mandamento estranho de “Saia daí e vá para o lugar que Eu mostrarei”. Mesmo sem saber para onde ia, Abraão adorou ao Senhor por onde passava. Erguia altares de sacrifício e tinha uma vida de verdadeira adoração. Estamos dispostos a nos sacrificar a fim de sermos verdadeiros adoradores?

Abraão foi convocado por Deus a sair de sua terra onde já estava emocionalmente estável, com o apoio da sua família e confortavelmente estabelecido. Embora alguns de seus parentes tivessem começado a se entregar à adoração de ídolos, Deus já o tinha escolhido e o chamou para que ele se separasse de seus familiares e de seu ambiente confortável. Esse era o plano para que ele se tornasse o pai de uma nação de adoradores, que defenderiam e representariam o verdadeiro Deus. Deixar zona de conforto fez-se necessário.

Atualmente temos um chamado parecido e por vezes é necessário até deixarmos nossas famílias. Moreno & Cubero (1995) atribuem à família garantia de sobrevivência física de seus membros e ressaltam que é dentro dela que se realizam as experiências básicas que serão imprescindíveis para o desenvolvimento autônomo dentro da sociedade na aprendizagem, no sistema de valores, na linguagem, no controle de impulsividade etc.. Assim compreendemos que a família é o principal influenciador para nossas escolhas, aspirações e até a influência para nosso relacionamento com Deus. O chamado de Abraão não é diferente do que é feito para nós hoje. Foi para afastá-lo desse ambiente de falsa adoração que Deus pediu a Abraão que saísse de Ur dos Caldeus e fosse para uma terra incerta. E ele foi.

A partir daí a fé de Abraão foi severamente provada. Sacrifícios atrás de sacrifícios foram feitos a fim de torná-lo finalmente o Pai da Fé… A medida que ele era provado, sua vida era constante adoração. Erguia altares por onde ia e adorava o Senhor influenciando outros por onde passava a adorarem o verdadeido Deus.

A maior adoração de Abraão foi oferecer o seu próprio filho em sacrifício. Com essa experiência, porém, Abraão aprendeu algumas lições cruciais e dolorosas. Quando levantou o cutelo para imolar o filho, Abraão pôde captar um vislumbre do que aconteceria ao Messias. Por isso Jesus disse: “Abraão… alegrou-se por ver o Meu dia, viu-o e regozijou-se”(Jo 8:56).

“Quaisquer que tenham sido as poderosas lições pessoais sobre fé e confiança, aprendidas por Abraão, por meio dessa provação, esse ato permanece através dos séculos como um símbolo incrivelmente poderoso da centralidade da morte de Cristo para a salvação.” (Lição da Escola Sabatina de hoje)

“Deus chamou Abraão para ser ensinador de Sua palavra, e escolheu-o para pai de uma grande nação, porque viu que instruiria aos filhos e à sua casa, nos princípios da Sua lei… E a influência de Abraão estendeu-se além de sua própria casa. Onde quer que construísse a sua tenda, levantava ao lado o altar para o sacrifício e culto. Quando se removia a tenda, o altar ficava; e mais de um cananeu errante, cujo conhecimento de Deus fora adquirido mediante a vida de Seu servo Abraão, detinha-se naquele altar para oferecer sacrifício a Jeová.” EGW – Educação pág 187

Hoje somos convocados por Deus a realizar sacrifício como verdadeira adoração. Sejamos nós também influenciadores para uma adoração verdadeira através de uma vida de verdadeiro adorador.

Jacqueline Alves

Faça seu comentário
Article

Duas classes de adoradores – Ter. 28/06

Você já imaginou qual foi a reação de Noé, quando a porta da arca foi aberta e, ele e sua família saíram da arca? Eu o imagino descendo a rampa daquele gigantesco barco até os seus pés tocarem o chão; imagino aquele homem boquiaberto, olhando a terra a sua volta, totalmente destruída, completamente devastada. Realmente aquele não era o mundo que ele viveu com sua família outrora, ele estava praticamente em meio a um cemitério ao céu aberto.

O que mais me chama atenção nesta história é que Nóe em nenhum momento questiona a Deus sobre a situação do mundo, em nenhum momento ele pergunta para Deus o que iria acontecer a sua família e a ele. A primeira atitude de Noé foi recolher algumas pedras e construir um altar para Deus (Gn 8:20), perceba que as primeiras pedras que ele recolheu não foram para construir um abrigo, foram para construir um altar ao Senhor, e neste mesmo verso diz que ele trouxe de todo animal e ave limpa ele ofereceu a Deus; um outro detalhe é que Noé provavelmente não possuía nauqele momento uma quantidade expressiva de gado e aves, contudo o que ele tinha naquele momento ele entregou a Deus.

Noé não se preocupou com o seu futuro ou o que iria ser da sua família, ele se preocupou em agradecer a Deus e entregar o melhor que ele tinha á Ele.

Hoje vivemos em um mundo totalmente devastado pelo pecado, cada vez mais as degradações morais e espirituais saltam aos nossos olhos, e o que estamos fazendo? Será que estamos fazendo como Noé? Estamos nos preocupando em fazer do nosso coração um altar ao Senhor?

Mesmo que nossa vida esteja despedaçada e nossos corações estejam em cacos, Deus espera que entremos em sua presença e suplicamos a Ele o auxilio necessário, devemos ser dependentes de Deus e Ele irá ajudar a ajuntar cada pedacinho das nossas vidas, cada pedacinho do nosso coração e com eles levantar um altar a Deus!

É meu desejo que a cada dia nos tornemos adoradores dependentes do poder de Deus!

Até a próxima terça.

Cíntia Valadares

Faça seu comentário
Article

Há somente dois tipos de adoradores – Seg. 27/06

Sinceramente, eu fiquei muito feliz ao saber do tema deste trimestre. Adoração é algo que venho comentando constantemente com meus amigos. Ao estudarmos o livro de Apocalipse numa célula jovem por um ano e meio, a conclusão que chegamos foi que o mundo estará dividido somente por dois tipos de adoradores: os que adoram verdadeiramente a Deus e aqueles que pensam que O adoram. A dúvida é: como diferenciar estes dois grupos? É disso que falaremos…

A lição comenta que a oferta de Caim foi rejeitada devido à tentativa de obtenção de salvação através da santificação pelas obras. Enquanto Abel reconhecia que somente através do sacrifício de um sangue inocente poderíamos ser libertos da culpa. Bem, gostaria de explorar o assunto da lição de um ângulo diferente. A bíblia diz que “ao cabo de dias trouxe Caim do fruto da terra uma oferta ao Senhor” Gen. 4:3. Não há menção que tipo de oferta foi requerida. Então, primeiramente, precisaríamos saber que tipos de ofertas poderiam ser estas. De acordo com o AT, existiam diversos tipos de ofertas: ofertas de holocaustos, ofertas pacíficas, ofertas pelo pecado, ofertas pela transgressão e ofertas de manjares. Nesta lista, somente a oferta de manjares não vinculava o sacrifício com a morte de algum animal. Muitos pensam que Caim ofereceu uma oferta de manjares (que também é conhecida como oferta de cereais – que satisfazia totalmente o tipo de oferta apresentada por Caim), enquanto Abel tinha apresentado uma oferta de transgressão ou pelo pecado. Até esta altura da narração bíblica, não havia problemas nas ofertas apresentadas pelos dois irmãos. Então, por que Deus não aceitou a oferta de Caim se esta estava em conformidade com a lista dada por Ele?

A resposta é simples. Porque naquele momento, a necessidade requeria outro tipo de oferta. Notem a narração de Gen. 4:7 – “Se você fizer o bem, não será aceito? Mas se não o fizer, saiba que o PECADO o ameaça à porta; ele deseja conquistá-lo, mas você deve dominá-lo”. A questão toda estava no pecado. Somente uma oferta de culpa (transgressão ou pelo pecado) poderia ser apresentada naquela ocasião. Então, por que Caim apresentou um outro tipo de oferta? Muitos comentaristas acreditam que Caim estava desafiando a Deus; outros mencionam que era mais fácil apresentar este tipo de sacrifício, pois ele era agricultor e etc. Eu tenho minha própria visão deste fato e eu acredito que esta possui muita relevância nos dias de hoje. Não gostaria de prolongar muito, então vou direto ao ponto.

Caim apresentou o fruto da terra, pois ele achava que era o melhor para Deus. Pare para pensar. E não é isso o que as pessoas estão fazendo hoje? Elas lêem a palavra de Deus, sabem exatamente o que Deus está pedindo, contudo, concluem que Deus se agradaria mais daquilo que elas pensam o que é melhor. Você e eu vemos isso a todo momento. “O dia de santificação requerido na bíblia não é um bom dia para mim, posso guardar qualquer outro, sendo que seja de coração. A igreja não é o melhor lugar de adoração, posso adorar muito bem da minha própria casa. Para que seguir tudo, se o básico eu já guardo, sou uma boa pessoa e isso já é o bastante.” E assim vai…

Preste atenção! Só existirão dois grupos de adoradores: 1) Aqueles que seguem verdadeiramente a vontade de Deus, independente de ser fácil ou não; 2) Aqueles que sempre vão querer enquadrar a vontade de Deus nos seus próprios moldes. Essa será a diferença que distinguirá quem são os verdadeiros adoradores. Pense nisso e reflita. Será que hoje você não está tentando retirar somente o que te interessa da palavra de Deus? Ou tentando seguí-lo conforme a sua própria visão ou vontade? Qual adorador você quer se tornar? Aquele que confia no próprio julgamento e sabedoria ou aquele que se deleita em confiar plenamente no que Deus diz?

Robson Teles

Faça seu comentário
Article

Quem tu adoras nesta vida, determina quem tu és! – Dom. 26/06

Neste Trimestre estudaremos sobre a verdadeira adoração. E na lição de domingo já me peguei pensando: Quem realmente eu estou adorando e de que maneira eu estou adorando?

Adão e Eva viviam em um mundo perfeito, eram perfeitos e tinham intima relação com Deus. Eles tinham infinitos motivos para adorar o seu Criador.

Mas depois da queda, o relacionamento intimo que tinham com o Senhor foi quebrado. Se encheram de medo, vergonha, culpa e se esconderam de Deus (algo impossível Sal 139:8-10). A partir de agora teriam outra maneira de adorar a Deus. Mas nosso Deus que tem um amor incomparável, inexplicável faz uma promessa: “E porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua semente e a sua semente; esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.” (Gen 3:15). Deus demonstra seu amor, sua compaixão para o ser humano mostrando o plano da redenção para Adão e Eva. Apesar de sua relação não ser mais a mesma eles tinham mais um motivo dentre tantos para adorar esse Deus tão grande!

Quão maravilhoso é saber que mesmo quando decepcionamos a Deus, mesmo quando o ferimos, Ele esta lá para nos estender a mão!

Agora consideremos. A quem estamos adorando? Estamos adorando ao nosso Deus que tudo fez e que tudo faz por nós? Estamos mostrando ao mundo quem realmente é Deus? A cada dia que conheço Deus, aprendo o quão imenso Ele é, e mais perto quero ficar Dele mesmo não compreendendo o tamanho de Seu amor. Deus e somente Deus é Digno de nossa adoração, pois Ele é nosso Criador, Redentor e Juiz.

E de que maneira estamos adorando? Com nossa vida? Adorar a Deus é muito mais do que cantar hinos de louvor, muito mais do que cantar no coral, do que dar estudos bíblicos, mais do que fazer belas orações. Adorar a Deus é entregar sua vida. É se colocar aos pés de Deus. A escritora Ellen White diz: “Cristo deve ser o primeiro e o último. Ele deve estar conosco não apenas no começo e no fim da nossa carreira, mas a cada passo do caminho.”

Decida hoje quem você vai adorar e de que maneira vai adorar. E não deixe que suas quedas atrapalhem essa adoração. Deus te ama mais do que você e eu possamos imaginar e esta disposto a te reerguer de suas quedas. Que Deus maravilhoso não e mesmo? Adore-O! (Ap 14:7)

“Vós, criaturas do Senhor,
Oh, elevai a Deus louvor!
Oh, louvai-O! Aleluia!”

Um abraço,
Danielle Borges

Faça seu comentário