Archive | maio, 2012
Article

Qual o seu estilo? – Qui. 31/05

Eu estava vivenciando mais uma consulta terapeutica quando minha pisicóloga declarou que eu tinha um temperamento melancólico. Na verdade era uma pequena dose desse temperamento, o que realmente predominava era o fleumático. Lógicamente eu não sabia do que ela estava falando. Fiz a famosa pergunta que nunca quer calar:

Como é?

Minha psicóloga me explicou sobre os quatro tipos de temperamentos existentes na humanidade.

O sanguíneo (pense em Pedro).
O colérico (pense em Paulo).
O fleumático (Abraão).
E o melancólico (Moisés).

Mas dizer os personagens bíblicos que podem exemplificar cada tipo de temperamento não será suficiente para que você entenda a amplitude do que quero dizer.

A questão é basicamente a seguinte: Todos os temperamentos possuem lados positivos e negativos, e, dependendo do caso, para se obter bons relacionamentos é preciso conhecer a si mesmo para não seguir condutas erradas, causar má impressão ou ser mal interpretado.

Fiz questão de ler o livro “Temperamentos Transformados” da editora Mundo Cristão (um livro de capa amarela que não chama a atenção de ninguém… Risos). Compreendi que todo temperamento precisa ser controlado pelo Espírito de Deus para se criar uma ponte de equilíbrio entre o crente e as pessoas que estão a sua volta. Conhecendo a si mesmo e compreendendo o lado do outro o crente, controlado pelo Espírito, dará bom testemunho do Mestre e será capaz de cativar os demais com um ato de reconhecimento e humildade.

É isso que a lição do Jovens de hoje está dizendo exemplificando em três pontos:

1. Descubra sua personalidade… Estude seus dons espirituais.
2. Escolha uma forma de trabalho que é mais “a sua cara”. Qual a forma de trabalho que mais lhe dá prazer?
3. Conheça sua situação, objetivos e opções. Crie sua meta e siga avante.

O testemunho mais eficiente é aquele que faz o seu estilo.

Aprendi uma coisa interessante sobre “estilo de testemunho” na semana passada. Trata-se de uma irmã da IASD de Nova São Miguel. Ela gosta de prestar socorro médico a seus amigos e vizinhos. Costuma levá-los de carro para o hospital quando preciso ou fazer importantes curativos nos acidentados da região. Resultado: Todos a admiram como cristã e preservam esse exemplo de bondade no coração. E só sabemos disso porque os próprios vizinhos confirmaram tais afirmações quando outra irmã da igreja procurava a casa da “irmã samaritana” na rua em que ela mora.

E você? Já conhece seu estilo? Procure conhecer e se empenhar a aplicar seus dons e talentos na causa do Senhor.

Quando nos ocupamos da devida forma não nos falta oportunidade de servir a Deus.

“Os que estão puxando os remos não têm tempo para balançar o barco.” (Lição do Jovens, 31 de maio de 2012)

Gladys Angélica

Faça seu comentário
Article

“Melhorando” os planos de Deus – Qua. 30/05

Uma vez eu ouvi uma parábola: Deus apareceu em sonho para um homem e lhe deu uma missão: fazer com que uma bicicleta chegasse a um destino distante 1.000 quilômetros de seu ponto de partida. Deveria fazê-lo PEDALANDO.

Ao acordar, o homem, começou a traçar os planos para cumprir a sua missão, e como todo ser humano, começou a racionalizar.

A missão propriamente dita consistia na entrega da bicicleta em determinado lugar. O “pedalando” era apenas um meio pelo qual cumpriria a sua missão.

Mas… (e sempre tem um mas) outros meios poderiam ser mais efetivos e atingiriam o objetivo com mais rapidez, além de proporcionar que a bicicleta chegasse ao seu destino intacta, afinal, não teria de enfrentar jornada de 1.000 quilômetros e sofrer depreciação.

E o homem da nossa história também resolveu “melhorar” o plano de Deus: embalou a bicicleta com plástico-bolha e a despachou num vôo. Mas ele foi junto, afinal, não seria negligente na sua divina missão.

Em poucas horas estavam tanto o homem quanto a bicicleta no destino. “Missão cumprida!” Pensou.

Naquela noite, em sonho, Deus apareceu novamente e manifestou mais um ar de decepção do que de reprovação. E o homem, sem entender, questionava: “Mas, Deus, o objetivo principal não foi atingido? A bicicleta não está no lugar onde deveria?”

E Deus respondeu: “Sim, filho. Mas eu pedi que você a levasse pedalando.”

E o homem: “Mas, Deus, isso era só um meio. Eu resolvi fazer melhor”.

E Deus disse: “Se o que você fez foi MELHOR, filho, então me responda: suas pernas estão mais fortes? Os seus braços estão mais musculosos? As suas costas estão mais resistentes? O seu fôlego melhorou?” Somente a prática, o empenho, traz resultados.

Às vezes queremos “melhorar” o trabalho de Deus, mas, normalmente, o fazemos de maneira a nos dar menos trabalho. E, agindo assim, deixamos de crescer espiritualmente, experimentar o incomparável sabor de sermos agentes de um milagre, provar da sensação de sermos usados por Deus.

Deus quer que nos empenhemos no trabalho, sem atalhos, seguindo as suas orientações.

A verdade é: se você não agir, o trabalho de Deus continuará a ser feito, Ele seguirá agindo à sua volta, fazendo milagres.

Você pode escolher PARTICIPAR DE FORMA ATIVA DO MILAGRE, TRABALHAR COM ELE E CRESCER ESPIRITUALMENTE ou ser apenas um mero espectador e se desenvolver tanto quanto um aspirante a motorista que está aprendendo a dirigir assistindo vídeo-aulas no youtube.

José Sérgio Miranda

Faça seu comentário
Article

Preparados para a colheita – Ter. 29/05

Quando as pessoas demonstram interesse em aprender mais sobre Deus e Sua igreja, devemos escolher com cuidado os que receberão a tarefa do testemunho. Em uma sociedade multicultural, faríamos bem em designar alguém da mesma nacionalidade e língua do interessado e, possivelmente, alguém de uma faixa etária similar. Além disso, poderíamos considerar a maturidade espiritual, conhecimento bíblico, habilidades de comunicação e experiência de salvação do missionário. Em outras palavras, devemos levar a sério a adaptação do obreiro àqueles com quem eles estão trabalhando.

Quando se trata de testemunho e evangelismo, não existe algo como “tamanho único” ou uma solução que sirva para todos os casos. A jornada da vida de cada pessoa é única, e isso vale para a jornada espiritual. No entanto, embora exista essa singularidade, também há semelhanças na experiência das pessoas, e existe bom senso em ajustar da melhor forma possível a experiência do cristão e a do interessado. (Lição Adultos 29/05)

Como igreja local, deve portanto buscar descobrir onde e como cada membro pode contribuir nas estratégias de testemunho e evangelismo, de acordo com os dos do Espirito e o contexto no qual está inserida a igreja. Estratégias missionárias inteligentes evitam a duplicação do trabalho, buscam novos focos para a mensagem adventista, utilizam os meios da melhor forma, se contextualizam e estão atentas aos recursos mais eficientes.

Notem quão importante é o planejamento missionário e objetivo de missão e testemunho bem claro, quando pensamos em organização dentro da igreja local. Vejam abaixo o que diz a escritora Ellen G. White:

“Não nos esqueçamos de que, ao aumentarmos a atividade, seremos bem-sucedidos em fazer a obra que tem de ser realizada e há o perigo de confiar em planos e métodos humanos. Haverá tendência para orar menos, e ter menos fé. Correremos o perigo de perder o senso de nossa dependência de Deus, o único que pode fazer com que nosso trabalho seja bem-sucedido; mas se bem que essa seja a tendência, que ninguém pense que o instrumento humano tenha de fazer menos. Não, ele não tem de fazer menos, porém mais, mediante a aceitação do celeste dom, o Espírito Santo” (Serviço Cristão, p. 98).

A Bíblia está repleta de exemplos de líderes que se empenharam para desenvolver respostas estratégicas às circunstâncias em prol do cumprimento da missão. Que possamos ter esses exemplos como referência e inspiração.

Ingrid Oliveira

Faça seu comentário
Article

Quem não arrisca não petisca – Seg. 28/05

“Tem bom ânimo, e sejamos corajosos pelo nosso povo, e pelas cidades de nosso Deus; e faça o Senhor o que bem lhe parecer.” II Samuel 10:12

Tenho muitos amigos que deixaram o país, suas famílias, seus amigos, seus trabalhos e aceitaram o desafio de viver o “novo”, em uma cultura diferente, com pessoas de língua e hábitos diferentes, entre outras coisas, para realizar um sonho! Ao conversar, esses dias, com um deles e perguntar se estava tudo bem, a resposta foi: “estou num misto de feliz e assustado! Fiz um plano com Deus quatro anos atrás e Deus está fazendo a parte Dele, agora chegou a hora de fazer a minha parte”. E a conversa seguiu animadamente com outros assuntos, outras informações.

Hoje ao pensar em nossa conversa, a resposta dele me fez refletir bastante! “Deus fez a parte Dele, agora chegou a hora de fazer a minha!” Quantos de nós, depois de fazer um plano com Deus, de ver Ele realizar a parte Dele em nossas vidas, estamos dispostos a ARRISCAR e cumprir a nossa parte?

ARRISCAR, para mim, é uma palavra forte! Muitas vezes ela me assusta! Acredito que você compartilha de um sentimento semelhante.

Assusta porque envolve abrir mão do que é certo, seguro, conhecido, que já temos um certo controle, em prol do novo, do desconhecido.

Por essa razão, muitas vezes, escolhemos o conforto do velho, preferindo deixar as coisas como estão, a arriscar por terrenos onde não sabemos o que vamos encontrar.

Correr risco é inerente em qualquer atividade na vida. Não seria diferente na vida cristã. Já dizia o ditado: “quem não arrisca não petisca!” E quem não gosta de um bom petisco?

Algo que precisamos saber é que, em diferentes proporções, Deus chamou TODOS os jovens, que tiveram um encontro pessoal com Jesus para o serviço. No entanto, muitas vezes a nossa falta de conhecimento e limitação pessoal faz que nos sintamos impossibilitados de nos envolvermos na obra do Senhor.

A Bíblia nos ensina: esforça-te, tem bom ânimo, faze a obra, não temas e não te apavores. Toda obra do Senhor desprende de muito esforço, muita dedicação, uma força além da natural, mas ao fazer o nosso melhor, os resultados virão. Deus quer usar você!

“Esteja sempre pronto para arriscar-se, a fim de alcançar o sucesso”.

Ao aceitar o desafio de viver por Jesus e fazer a vontade Dele na sua vida, o Espírito Santo fará com que você produza o fruto correto. A mensagem de Deus, o Evangelho, se espalhará para além do seu alcance físico. Sua vida se tornará cheia de alegria e da presença de Deus. Mas tenha sempre em mente que na vida espiritual os resultados espirituais dependem do Espírito Santo.

“Não nos esqueçamos de que, ao aumentarmos a atividade, seremos bem-sucedidos em fazer a obra que tem de ser realizada e há o perigo de confiar em planos e métodos humanos. Haverá tendência para orar menos, e ter menos fé. Correremos o perigo de perder o senso de nossa dependência de Deus, o único que pode fazer com que nosso trabalho seja bem-sucedido; mas se bem que essa seja a tendência, que ninguém pense que o instrumento humano tenha de fazer menos. Não, ele não tem de fazer menos, porém mais, mediante a aceitação do celeste dom, o Espírito Santo” Ellen G. White – Serviço Cristão, p. 98

Não podemos viver uma vida “rasa” uma vez que os rios de água viva podem fluir do nosso interior. Não podemos viver uma vida fraca, uma vez que a suprema grandeza do poder Deus está à nossa disposição. Não podemos viver uma vida vazia, uma vez que o Deus que nem os mais altos céus podem contê-lo, habita em nós em toda a sua plenitude.

A promessa de recebimento do Espírito Santo é para TODOS!

Pra que ter medo de ARRISCAR se Deus está conosco? Para que fugir se é Deus que garante tudo?

Muitos de nós fazemos como Jonas, fugindo da missão na qual Deus nos colocou. Mas não adianta fugir, não precisa temer, somente siga, diga: usa-me, Deus! Ele garante a VITÓRIA!

Vamos parar de fechar os olhos para missão, pois a cada minuto que passamos com eles fechados, pessoas são mortas sem poder conhecer ou aceitar a Cristo como o seu único Salvador pessoal!

Fácil falar, fácil escrever! Mas viver, praticar, não é NADA fácil! Mas que depois de ler essas palavras surja em seu coração a vontade de dizer o que Paulo César Baruk diz em uma de suas canções:

“Eu quero Te servir, eu quero Te obedecer, viver Tua vontade, refletir tua verdade. Te honrar com minha vida, em tudo te adorar! Mestre, amigo, amado Jesus, esse é o meu querer”!

Este é meu sincero querer! Oro para que seja o seu também!

Que Deus te abençoe!

Tatty Barreto

Faça seu comentário
Article

Como Escolher – Dom. 27/05

Imagine você com sua empresa, e você precisa contratar mais funcionários pois o serviço está crescendo e você não dará conta. Com certeza você escolherá a pessoa mais preparada, com mais conhecimento possível para que a sua empresa continue crescendo.

Com Moisés não foi diferente, pois ele que foi escolhido por Deus para liderar sozinho um povo, e com a sua humildade os liderava. Mas Deus, viu que Moisés estava com dificuldades de liderar aquele povo e através de seu sogro Jetro, Deus o fez enxergar uma forma diferente de liderar.

Deus fez com que Jetro lhe desce um conselho: “Não é bom o que fazes, certamente desfalecerás, assim tu, como estes povo que esta contigo, por que isto é pesado demais; tu só não podes fazer” (Êxodo: 18:17,18)

“Ensinar-lhes-ás as Leis e lhes mostrarás o caminho em que devem andar, e a obra que devem fazer”(Êxodo: 18:19)

“Mas você deve escolher alguns homens capazes e coloca-los como chefes do povo: chefes de mil, de cem, de dez; devem ser homens temente a Deus, que mereçam confiança e que sejam honestos em tudo”(Êxodo:18:20,21)

Moises depois de receber o conselho de seu sogro, o pôs em prática e procurou minuciosamente pessoas iguais as que Jetro havia explicado; e quando escolheu, a Bíblia nos mostra que o conselho de Jetro vinha de Deus.

A irmã White fala que:

“Por causa de obreiros não consagrados, as coisas por vezes irão mal. Podereis chorar os resultados do mau procedimento de outros, mas não vos acabrunheis a obra está sob a supervisão do Bendito mestre, tudo que ele pede é que os obreiros vão ter com ele para perceberem suas ordens, e que obedeçam as suas orientações.

Todas as partes da obra – Nossas Igrejas, Missões, Escola Sabatinas, Instituições – Tudo Ele tem no coração. Por que preocupar-se?

O intenso anelo de ver a igreja impregnada de vida tem de ser preparado com inteira confiança em Deus… Não sobrecarregue ninguém às faculdades que Deus lhe deu, num esforço por promover mais rapidamente a causa do Senhor. Não pode o poder do Homem apressar a Obra; e ele tem de unir-se ao seres celestiais… Mesmo que todos os obreiros que agora suportam os mais pesados encargos fossem postos de lado, a obra de deus seria levada avante.” (2TS. 353 e 354 – 1902)/(Eventos Finais – pág. 73)

Irmãos, estamos na igreja por um único motivo, não pela nossa salvação, mas sim pela salvação do próximo, do que adianta tentarmos ir para os céus sozinhos? A Igreja foi feita para ensinar ao próximo sobre o nosso Criador, pois aprendemos e depois ensinamos e foi assim com Moisés, ensinou seus escolhidos no caminho onde deviam andar e depois eles ensinaram aos outros.

Devemos fazer igual a Moises, e sempre pedirmos a orientação de Deus.

Que a Paz do Senhor esteja convosco.

Felipe Lenin

Faça seu comentário