Archive | julho, 2012
Article

O que em sua vida agrada a Deus? – Ter. 31/07

“A vida de Paulo foi uma exemplificação das verdades que ele ensinava. Nisso repousava seu poder. Seu coração estava cheio de um profundo e permanente senso de sua responsabilidade, e ele trabalhava em íntima comunhão com Aquele que é a fonte de justiça, misericórdia e verdade. Apegava-se à cruz de Cristo como sua garantia única de sucesso. O amor do Salvador era o permanente motivo que lhe dava a vitória nos seus conflitos contra o egoísmo e em suas lutas contra o mal, ao avançar, no serviço de Cristo, contra o desamor do mundo e a oposição de seus inimigos” (Ellen G. White, Atos dos Apóstolos, p. 507).

Paulo foi líder por excelência. Seu legado serve de exemplo para líderes ainda hoje, ele não foi a Tessalônica para tirar proveito de seus habitantes, mas para legar algo a eles; não para tirar vantagens, mas para doar. Não foi para ganhar dinheiro, mas para ganhar pessoas. Sua motivação não era o lucro, mas a salvação de outros. Paulo terminou sua vida pobre, sozinho e condenado à morte. Porém, nenhum rei, aristocrata, pensador ou filósofo é mais conhecido e estudado na História do que esse extraordinário apóstolo.

Se você quiser fazer diferença no mundo, precisa examinar constantemente seus motivos e intenções.

O líder espiritual não busca aplauso dos homens, mas a aprovação de Deus. Paulo foi um pastor, não um bajulador. Não pregava para agradar a homens, mas para ser aprovado por Deus. Não buscava reconhecimento humano, mas lutava para ser irrepreensível diante de Deus.

Deus tem o poder para mudar qualquer circunstância da nossa vida e quando oramos desesperadamente por mudanças, e elas não ocorrem, é porque Ele está mais interessado em mudar o nosso coração.

Recorde sempre que todo aquele que quiser se colocar entre os verdadeiros pastores deve amar as pessoas como Paulo as amava mesmo que essa não seja uma tarefa fácil. Uma vez ouvi que as pessoas boas merecem nosso amor e as pessoas ruins precisam dele. Ore a Deus pedindo amor, ore a Deus pedindo ser mais fiel, ore a Deus pedindo para se esvaziar de tudo que não for bom e te preencha com o Seu santo e bom espírito e agrade Deus dia a dia.

Ingrid Oliveira

Faça seu comentário
Article

Cristão Autêntico – Seg. 30/07

“Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece os meus pensamentos; vê se há em mim algum caminho perverso, e guia-me pelo caminho eterno” Salmos 139:23 e 24

Recebi por email um ranking de pessoas que passaram por cirurgias plásticas mais bizarras para parecer alguém. Fiquei impressionada com uma moça chamada Nileen Namita que além de querer se tornar diferente, resolveu fazer 51 cirurgias plásticas para ficar idêntica à Nefertiti, rainha da XVIII dinastia do Egito antigo. Uma outra cirurgia que me impressionou foi a de uma mulher que fez plástica para parecer a ex do marido. O marido perdeu a primeira esposa em um acidente de carro e queria que a atual se tornasse parecida com a outra. Impressionante, não é mesmo?

Quantas vezes você quis parecer mais forte, mais inteligente, bem sucedido, astuto, apenas para impressionar? Quantas vezes adotamos uma aparência cristã, mas temos um cristianismo só de fachada?

Muitos de nós fingimos ter uma personalidade agradável para esconder nossas “garras”, mas nosso verdadeiro caráter é revelado pelo que fazemos quando achamos que ninguém está olhando! Passamos no sinal vermelho, estacionamos em local proibido, cortamos um carro pela direita ou pelo acostamento, “maquiamos” a fofoca para ficar mais interessante, usamos uma carteira de estudante porque ainda se tem validade mesmo não sendo mais estudante, usamos o sinal da internet do vizinho só porque está desbloqueada mesmo sem pagar por ela. Não necessitamos ser honestos, basta termos a aparência de honestos. Só que ter caráter cristão é fazer o certo mesmo quando não se tem vontade, ou mesmo quando aparentemente não se tira vantagem disso.

Não procure parecer, procure ser.

O significado literal do termo grego charaktēr é estampa, impressão, gravação, sinal, marca ou reprodução exata. É traduzida nas Escrituras como a “imagem expressa”. De acordo com o Completo Dicionário de Estudo de Palavras do Novo Testamento, a palavra “originalmente denotava um estampador ou uma ferramenta de impressão. Depois significava a impressão em si, normalmente algo entalhado, cortado, ou carimbado, um caractere, letra, marca [ou] sinal. Essa impressão com suas características particulares eram consideradas como uma representação exata do objeto do qual a imagem era emprestada.” Em Hebreus 1:3, Cristo é descrito como a “expressão exata” de Deus. A versão Almeida Atualizada traduz essa ideia de caráter como “expressa imagem do seu Ser”.

A caminhada para adquirir o caráter cristão, seguindo o modelo de Jesus, não nasce da noite para o dia. É algo que vai sendo formado e impresso com o tempo em nosso interior, uma verdadeira marca. É um processo gradual que está relacionado a um amplo conjunto de fatores que influenciam a nossa formação. Caráter é ser autêntico, deixar a sua fé e suas convicções não serem vendidas ou prostituídas por este mundo de valores tão passageiros e rotulados pela moda.

“São as pequenas coisas que provam o caráter. São os atos despretensiosos de abnegação diária, praticados com um coração prazenteiro e voluntário, que Deus aprova. Não devemos viver para nós mesmos, mas para outrem. E é apenas pelo esquecimento de nós mesmos, alimentando um espírito amorável, auxiliador, que podemos tornar nossa vida uma bênção. As pequenas atenções, as cortesias pequenas e singelas, muito representam em perfazer o total da felicidade da vida” Ellen G. White, Patriarcas e Profetas, p. 158

Deus vê a intenção do nosso coração, além da demonstração externa de religiosidade.

Quando se fala em caráter cristão, não existe meio-termo. Ou você é semelhante a Cristo ou está do outro lado. Não dá pra ter um caráter mais ou menos puro, nem uma conduta só um pouquinho desonesta. Ser diferente de Cristo significa pecar. E o pecado sempre leva ao desespero, à infelicidade e à ruína. Hoje eu te convido a não deixar nada, nenhuma máscara te impedir de ser quem você é de verdade. Eu oro para que a luz, a alegria verdadeira e a coragem que vem de Deus brilhe em seus olhos. O trabalho de se construir um caráter cristão de verdade dura uma vida inteira. E Deus tem paciência, muita paciência! Talvez a lágrima tem molhado seu rosto, a tristeza tem tentado dominar a sua vida, mas te digo, o seu caráter, a sua confiança irá te levar para o coração de Deus. Não seja iludido por um falso carisma ou por uma vida de novela. Viva com o caráter de Cristo, abandone o “velho homem” e corra em direção ao verdadeiro, autêntico, Santo e Amado Senhor Jesus.

Tatty Barreto

Faça seu comentário
Article

Quem escolheu quem? – Dom. 29/07

Se tem uma coisa que me impressiona em Deus é o fato dEle ser como Ele é.

A característica de parecer ser único e perfeito para todos os tipos de pessoas é uma coisa que só Ele tem.

Existe um certo trecho na história de Moisés que me chama bastante a atenção.

“Então, disse Moisés ao Senhor: Ah! Senhor! Eu nunca fui eloquente, nem outrora, nem depois que falaste ao teu servo; pois sou pesado de boca e pesado de língua.
Respondeu-lhe o Senhor: Quem fez a boca do homem? Ou quem faz o mudo, ou surdo, ou o que vê, ou o cego? Não sou eu o Senhor? Vai, pois, agora, e eu serei com a tua boca e te ensinarei o que hás de falar.”
Ex 4:10-12.

Quando olho para reação de Moisés diante do chamado de Deus me pergunto se eu seria capaz de me “esquivar” dessa forma diante do próprio Rei do universo. Como você reagiria?

Algumas vezes olhamos para as histórias bíblicas buscando personagens que possivelmente nos identifiquemos. Vou contar uma verdade que todo mundo sabe mas ninguém diz. Esse personagem que você procura não existe! A Bíblia como um todo trás inspirações que se encaixam com sua vida no devido tempo. Mesmo havendo um personagem mais específico você certamente encontrará lições aplicáveis a sua vida em todas as histórias.

Houve um período que os israelitas indagaram sobre o porquê Deus escolheu Moisés e Arão para serem Seus representantes perante o povo, por que eles dois podiam falar diretamente com Deus e os outros apenas receber os recados?

Quando esse tipo de coisa acontece devemos entender que o homem perdeu de vista o Senhor e passou a buscar honra para si mesmo. A queixa dos israelitas estava baseada em ciúmes, inveja e honra. Deus parecia honrar mais a Moisés e Arão do que o restante do povo. Cegados por esse conceito, os israelitas pareceram esquecer que Deus já os honrara, escolhendo-os para levar luz ao mundo. Sabemos que infelizmente eles não cumpriram essa missão.

Anos depois Cristo veio. A vida de Jesus mostrou o que deveria ser a vida dos judeus. Ele mostrou que as honras humanas nada valem se não estivermos na conduta divina. Sabiamente Cristo explicou qual era a missão de Seus escolhidos. Ir a todo o mundo e pregar o evangelho.

A palavra da salvação atravessou os séculos e seus raios de luz nos iluminam até hoje. A missão sempre foi e sempre será a mesma até que Jesus volte.

Hoje Deus escolheu um povo para refletir a vida do Mestre com os mesmos raios de luz que Cristo refletia. Independente da posição em que você está, Deus o (a) separou para conhecer algo que o mundo desconhece.

A Igreja Adventista do Sétimo Dia recebeu em grande medida o Espírito de Profecia. Nosso povo é o único povo na Terra capaz de compreender a Bíblia em sua amplitude completa. Nossa missão é partilhar esse conhecimento, pois a verdade conduz a Jesus e Ele mesmo é a verdade.

Amados, Deus nos diz: “Vai, pois, agora, e eu serei com a tua boca e te ensinarei o que hás de falar.” Ex 4:12. Não Olhe para homens que ao seus próprios olhos são privilegiados. Olhe para o privilégio que você recebeu da parte do Pai, pois poucos são os que conhecem e aceitam a verdade.

“Muitos são chamados, mas poucos escolhidos” Mt 22:14

“Não fostes vos que me escolheste a mim, pelo contrário, eu vos escolhi…” Jo 15:16.

Não importa quão poucos sejam, seja você um escolhido.

A missão é sua, apenas responda: “Eis-me aqui!”

Gladys Angélica

Faça seu comentário
Article

Fé na prática – Sex. 27/07

A verdadeira fé se manifesta de maneira prática. A ênfase da fé cristã sempre está na ação, e não em ideias abstratas. Apesar da salvação ser pela graça e não por obras, ela se torna visível em obras, existe um “trabalho da fé”. A fé bíblica é uma fé bem ocupada e se manifesta de maneira constante, não em espasmos isolados de bondade.

Se não há diferença visível entre quem tem fé e quem não tem, então estamos nos satisfazendo com uma forma de piedade sem o Espírito e o poder, e “a religião formal não serve para este tempo” (Ellen White, Evangelismo, 169-170).

A manifestação do evangelho não consistia apenas em palavras e discursos, mas em poder espiritual.

Certamente, o ministerio de Paulo entre os tessalonicenses foi acompanhado de muito trabalho, sinais e milagres. “Nossa fé deve significar alguma coisa mais definida, mais decidida, mais importante” (Ellen White, Mensagens escolhidas, vol 1, 91).

A igreja se ajudava mutuamente, cada membro se preocupava com o bem-estar do outro. Isso mostrava a genuinidade da conversão deles. A igreja é a comunidade de discípulos de Jesus. A salvação é individual, mas a caminhada no discipulado é coletiva, comunitária. O cristianismo respeita a individualidade, a pessoalidade, mas não conhece o individualismo.

Esperança ativa – A palavra “esperança” pode trazer um conceito de passividade, de espera de braços cruzados. Não é assim no Reino de Deus.

A “esperança” cristã não é um otimismo vago nem mero pensamento positivo inerte. É uma esperança centralizada e Jesus e sua obra.

Podemos suportar o sofrimento com paciência por causa da glória futura. A esperança é a âncora da alma (Hb 6:19). Os tessalonicenses não esperavam a volta de Jesus ociosamente. Combinavam a espera com atividade, na expectativa de que Jesus voltasse ainda em seus dias.

Sejam meus imitadores – É comum ouvirmos no meio cristão frases como: “eu não sou exemplo para ninguém!” Mas parece que esse é mais um conceito não-bíblico que os cristãos assumiram. Paulo se considerava um exemplo. E ele incentiva o jovem Timóteo a ser também um exemplo, modelo, padrão para os fiéis (1 Tm 4:12).

Paulo não deixou apenas um exemplo humano para os tessalonicenses. Ele os ajudou a serem imitadores de Jesus, o exemplo perfeito. Como era um seguidor de Jesus, Paulo sem arrogância alguma se coloca como alguém digno de ser imitado, pois quem o imitasse estaria imitando a Cristo.

Os crentes devem ter como modelo a vida dos apóstolos e a vida de Jesus. E eles mesmos também se tornem modelos e exemplos para que outros cristãos imitem.

Vanessa Meira

Faça seu comentário
Article

Quais são as nossas evidências? – Qui. 26/07

Há duas semanas atrás, eu escrevi exatamente sobre o início da nossa jornada cristã. O título foi “Na direção oposta” . Como na vida de Paulo, nosso início precisa ser marcado por uma conversão. A bíblia fala muito sobre arrependimento. Mas o verdadeiro arrependimento é aquele que leva a uma mudança de direção. Paulo é um grande exemplo disso.

A direção que ele estava para Damasco era de aprisionar e matar a “seita” dessa nova religião fundamentada em Jesus. Cristo aparece no caminho e o que acontece? Ele muda. Mas também faz uma conversão do rumo que a sua vida estava tomando. Ele se arrepende do que fez, do que ia fazer e muda a direção da sua vida ao contrário – esse é o verdadeiro significado de conversão. Paulo exemplifica essa conversão num texto simples: “Aquele que furtava, não furte mais; antes trabalhe, fazendo com as mãos o que é bom, para que tenha o que repartir com o que tiver necessidade.” Efésios 4:28.

Mudar a direção da nossa vida não quer dizer que precisamos ser evangelistas como Paulo. Mudar a direção é simplesmente fazer a conversão na estrada da vida e ir contra o caminho que antes andávamos.

Agora, vem a pergunta da lição dessa semana: Mas quais são as evidências que estamos no caminho certo? Você já se fez essa pergunta? Será que estou no caminho certo? Deus seria um Deus injusto se no final da nossa vida nos dissesse: “Meu filho, você mudou realmente, mas infelizmente pegou o caminho errado”. Só no final para nos dizer isso, não dá. Então, Deus deixou evidências para nos mostrar a veracidade da nossa fé, se cremos realmente em Jesus como salvador e se estamos no caminho verdadeiro. Neste post apenas darei algumas evidências deixadas para nós – “Quem tem ouvidos para ouvir, ouça.”

1) Direção. “Pois onde estiver o vosso tesouro, ai estará também o vosso coração.” Mat 6:21;

2) Necessidade. “Buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.” Mat. 6:33;

3) Conhecimento dEle. “Em verdade vos digo que, quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizeste.” Mat. 26:40;

4) Comportamento. “Em tudo te dá por exemplo de boas obras. Na doutrina mostra integridade, reverência, linguagem sã e irrepreensível, para que o adversário se envergonhe, não tendo nenhum mal que dizer de nós.” Tit. 2:7-8;

5) Cristãos. “Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros.” Jo. 13:35;

6) Filhos. “Porque todos os que são guiados pelo Espírito de Deus são filhos de Deus.” Rom. 8:14;

7) Salvação. “Pois é pela graça que sois salvos, por meio da fé – e isto não vem de vós, é dom de Deus – não das obras, para que ninguém se glorie.” Efe. 2:8-9.

Jesus Cristo é a maior evidência se estamos no caminho certo. Meu amigo, Cristo precisa ser a pergunta e a resposta diária na sua vida para que você saiba o caminho e Ele mesmo diz: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.” João 14:6.

Robson Teles

Faça seu comentário