Archive | agosto, 2012
Article

A ira é sinal de amor – Qui. 30/08

No sábado passado fomos visitar uma igreja que fica perto de casa. A escola sabatina era geral e o tema de discussão era sobre a ressurreição. De repente, uma mulher no fundo levanta a mão e faz a seguinte declaração: “Eu não vejo problema de acreditar que a alma possa viver eternamente.” Choque total – para alguns. Contudo, esse é um conceito muito difundido e que muitas pessoas acreditam. Posso até afirmar que existem muitos evangélicos que acreditam nesse conceito também. Acreditando ou não, isso não muda o fato de que a bíblia não ensina essa doutrina. Assim como as escrituras falam da ira de Deus diferente da crença popular.

É verdade que a bíblia menciona diversas vezes a ira de Deus, mas precisamos tomar cuidado com o significado e proporção dessa pequena palavra quando atribuída ao Deus Criador. A ira divina vem da palavra Jarah em hebraico. Mas, nem de longe, ela pode ser comparada com a ira pecaminosa do homem, que em hebraico vem de outra palavra chamada qatsap. Somente olhando o original destas duas palavras podemos afirmar que o significado e os resultados de ira diferem quando aplicada aos Homens e a Deus. Contudo, muitos ainda veem Deus como carrasco e a ira como a punição final para os Homens maus.

Infelizmente, muitos evangélicos ainda utilizam essa “ideia” para invalidar o velho testamento, afirmando que o Deus do AT é o da ira, mas o Deus do NT possui uma nova aliança personificada em Jesus, promovendo somente a graça e a liberdade. Por assim acreditarem, eles deturpam o caráter de Deus e mancham o nome dAquele que foi, é e sempre será o mesmo Deus de amor. Mas como o Deus de amor pode também ser o Deus da ira?

Para você entender e compreender isso profundamente, precisamos de uma nova palavra auxiliar que se chama Justiça. A ira de Deus é simplesmente a aplicação da Sua justiça e entregue aos Homens segundo as suas obras. É bom lembrar que realmente somos salvos através de um só nome, Jesus Cristo. Contudo, a condenação vem para todos segundo as obras que praticaram. A ira é simplesmente o resultado da aplicação dessa justiça.

Muitos refutam esse pensamento associando Deus como tirano e cruel. Cruel ou injusto seria dar uma sentença sem uma única chance de escape, não é? Pois é ai que entra Jesus como nosso salvador e libertador. Cristo deixa bem claro: “E quem me vê a mim, vê Aquele que me enviou.” João 12:45. Jesus é exatamente a personificação do Deus Criador e recebe todos os atributos do Pai.

Deus realmente nos chama para salvação, mas muitos não querem. Então, a ira ou aplicação da Sua justiça é o resultado das nossas escolhas. Sinceramente, tem muita gente que não quer ir para céu. Muita gente que quer aproveitar essa vida e tudo que ela oferece. Na minha vida eu já conheci algumas pessoas com este pensamento. E Deus é tão grande em amor que atenderá o pedido deles. Contudo, a Sua justiça não deixará de existir. O cumprimento é verdadeiro e fiel.

Meu amigo, nunca vá a Deus por medo. O medo simplesmente demonstra a falta de conhecimento e de relacionamento com Ele. A ira virá em forma de justiça, isso é uma certeza, mas somente para aqueles que escolherem. Somos hoje justificados através do sangue de Cristo derramado na cruz do calvário. A ira será o ato final de um Deus de misericórdia, aplicando a Sua justiça a todos. E TODOS um dia compreenderão o justo Deus de amor.

Robson Teles

Faça seu comentário
Article

Preparação para o retorno – Qua. 29/08

Os acontecimentos da última década dão conta: o final dos tempos esta aí, mas poucos tem enxergado a importância e principalmente o significado dos terremotos, das tempestades, dos tsunamis e enchentes.

Além das catástrofes naturais, o ódio apenas tem crescido. Crimes hediondos, falta de amor nas famílias, falta de carinho e de respeito. Tudo isso é sinal contundente de que Jesus está voltando. As profecias de Mateus 24 definitivamente estão se cumprindo.

No entanto, muitos de nós não parecem estar muito preparados para o grande evento do retorno de Cristo. Ao contrario de levar essa mensagem de salvação e nos preparar para esse dia, estamos vivendo uma verdadeira mornidão e preguiça espiritual.

Estar na igreja aos sábados pela manha, e só, oras, isso não e suficiente. Porque espiritualidade, entrega e preparação significam muito mais que isso!

Significam uma Vida de renuncia ao eu, deixar de lado tudo o que desagrada a Deus, tudo o que nos separa dEle e do nosso próximo. E ter amor, e ter comprometimento com a obra de Deus.

Ao contrario disso, temos nos contaminado com a influência do mundo, temos permitido que as verdades e doutrinas bíblicas se tornem ultrapassadas. E sabe por quê? Porque são 5 horas de televisão e internet e 5 minutos de Biblia! E de repente nos damos conta de que a vida vai passando sem amadurecermos nossa fé, sem mostrar ao mundo em trevas que somos luzes e portadores de uma mensagem maravilhosa de amor e salvação!

Precisamos acordar para a realidade que nos cerca e fazer o possível e o impossível para agradar a Deus, nos preparar para estar nas mansões celestiais e principalmente levar os nossos queridos e amados que não conhecem essa verdade.

Chega de mornidão e preguiça! O momento deve ser de preparação, preparação para o reencontro com nosso Mestre, cujo dia se aproxima!

Carolina Barros de Carvalho

Faça seu comentário
Article

Preparados para o encontro – Ter. 28/08

Diariamente nos deparamos com situações em que temos que nos preparar melhor para alcançar um resultado positivo.

Lembro quando estávamos fazendo nosso trabalho de conclusão na faculdade o famoso e temido TCC, o meu grupo e eu nos preparamos ao máximo para a entrega do trabalho, foi com certeza uma grande correria, um stress prazeroso para a realização de uma conquista tão sonhada.

E no dia da apresentação não poderia ser diferente, colocamos roupas e sapatos adequados para causar uma boa impressão na banca de professores.

Tudo foi planejado da melhor maneira para o encontro do nosso diploma.

Assim deveria ser a vida de todos nós, não somente nos preparar para um trabalho da faculdade ou uma reunião do serviço, mas viver cada dia nos planejando para o encontro com o Senhor.

A bíblia nos diz que o dia e a hora da vinda do Senhor são incertos, por melhores que sejamos em cálculos matemáticos não existe nenhum que nos dê um resultado certo da segunda vinda de Cristo, pois como diz na bíblia Ele virá como um ladrão na calada da noite.

É certo que nenhum de nós fica acordado durante a noite aguardando a visita do ladrão, mas devemos ficar sim acordados e preparados aguardando o retorno do Senhor, porque o apóstolo Paulo diz que o Senhor virá como um ladrão apenas para aqueles que não vigiaram.

Aqueles que vivem na escuridão do mundo, usufruindo dos prazeres da carne e se esquecendo dos mandamentos de Deus, receberão o Senhor de surpresa, e não estarão preparados para o encontro com o mestre.

Porém aqueles que saírem a tempo da escuridão do mundo e seguirem para a maravilhosa luz estarão preparados para o grande dia.

Meu desejo é que você e eu estejamos prontos para o encontro com o Senhor nas nuvens do céu, e que mesmo que a morte chegue há algum de nós, possamos então dormir na esperança da vinda de Cristo.

Patrícia Santiago

Faça seu comentário
Article

Anda dormindo no ponto? – Seg. 27/08

“Vigiai, pois, porque não sabeis o dia nem a hora em que o Filho do homem há de vir” Mateus 25:13

Na época da faculdade eu tinha pouquíssimo tempo para dormir. Estudava e trabalhava bem longe de casa! Chegava por volta da meia noite e meia em casa e as cinco e meia já estava a caminho do trabalho. Você pode imaginar o que me acontecia, né? Sim! Onde eu encostava, dormia! Muitas vezes até em pé! (Ufaaa! O Facebook nem estava em alta! Hahaha)

Sabe aquele dia em que você está cansado, sonolento e o banco duro do transporte público começa a ficar macio, o movimento te faz lembrar quando sua mãe te embalava e cantava “dorme nenê”? Você se esforça para ficar acordado, dá uma olhada para ver se ainda falta muito para chegar o seu ponto e cai em um sono profundo? Pois é… Comigo já aconteceu algumas vezes! Risos…

Um dia estava naquele transito matinal da Marginal Pinheiros, horário de pico (quem mora em São Paulo conhece bem! Hehe) e faltando um único ponto para eu descer, dormi! Quando abri os olhos novamente meu coração quase saiu pela boca! Perdi o ponto! Que raiva! Que desespero!

Bom, como estava na marginal, só tinha uma opção: descer no próximo e voltar caminhando pelo menos uns trinta minutos. Um pouco zonza por acordar no “desespero” até pensei em outras opções, um outro ônibus, um taxi… Mas na Marginal? Atravessar o Rio? Horário de pico? Sendo BEM otimista, levaria pelo menos uma hora e meia o trajeto.

Jesus está voltando! Não durma tanto!

Percebe que muitas vezes vivemos como se o “próximo ponto” estivesse longe? Vivemos como se tivéssemos uma longa vida nessa terra! Esquecemos que a segunda vinda de Jesus será repentina, inesperada e inevitável. Uma coisa é certa! Independente de como você esteja, Ele vai voltar! E o tempo de preparação não é amanhã, nem no “próximo ponto”! O tempo de preparação é AGORA.

Como Jesus te encontraria caso voltasse hoje? Pronto? Preparado? Curtindo a vida? Aguardando a idade ideal para depois ter um compromisso sério com Deus? Mas e se não der tempo de se preparar?

Eu não quero ser encontrada despreparada e muito menos dormindo! Não quero que Jesus chegue e me encontre negligenciando as coisas espirituais. Não quero que Ele me veja indiferente à Sua Missão. Não quero que me encontre envolvida com o mundo e com atitudes que não engrandeçam o Seu nome. Quero que Ele me chame pelo meu nome e diga: “serva boa e fiel”. Quero ver em Seu rosto um sorriso para mim. Quero poder abraçá-lo e dizer: “estava ansiosa e pronta para te encontrar!”

Você está preparado para a volta de Jesus? Todos os dias? Que possamos estar vigilantes à cada segundo, pois a qualquer momento, talvez no “próximo ponto”, veremos o Filho de Deus voltar!

Tatty Barreto

Faça seu comentário
Article

Luto: transformando a tristeza em verbo – Sex. 24/08

A morte é vencida não apenas pela ressurreição, mas também por uma biografia digna (Ap 14:13). Em vez de ficarmos paralisados diante da real possibilidade de morrermos, deveríamos aproveitar cada momento da vida. E em vez de abaixarmos as armas diante da morte de alguém amado, deveríamos lutar com mais ardor a fim de apressar o reencontro. A Bíblia nos dá farto material para transformarmos nosso luto em força para lutar.

A morte vai morrer

“O último inimigo a ser destruído é a morte” (1 Co 15:26)

A vitória de Jesus sobre a morte se dá em dois níveis: ele a derrotou, e agora ela será destruída.

Assim como um lutador de jiu-jitsu imobilizado por um “armlock” e prestes a “bater” em sinal de desistência, a morte está dominada e é uma questão de tempo até a luta acabar de vez.

Mas entre a vitória na cruz e a aniquilação da morte, ainda haverá velórios e enterros.

6 de junho de 1944, o “Dia D”, é conhecido como o dia em que a 2ª Guerra Mundial praticamente terminou. No entanto, entre o “Dia D” e a rendição final dos inimigos houve um ano de batalhas sangrentas. Nosso “Dia D” foi a cruz, mas a rendição completa da morte acontecerá após a consumação de tudo.

Em quase todos os lares, há um lugar vazio à mesa, roupas que falam de alguém que não mais existe, sapatos que relembram pessoas que amamos, fotos que nos fazem suspirar de saudade…

Felizmente, aproxima-se o dia em que o Rei dos reis e Senhor dos senhores “destruirá a morte para sempre. O Soberano Senhor enxugará as lágrimas de todo o rosto e retirará de toda a terra a zombaria do seu povo. Foi o Senhor quem disse!” (Is 25:6-8)

Um dia, a própria morte, último inimigo, cairá de joelhos diante do Senhor da vida.

“[Eu sou] aquele que vive; estive morto, mas eis que estou vivo pelos séculos dos séculos e tenho as chaves da morte e do inferno” (Ap 1:18)

O caminho para a maturidade pode passar pelo vale da sombra da morte.

O cristianismo plastificado, de autoajuda (e autoengano), não resiste a uma tragédia inexplicável e sem sentido. Diante de tragédias fatais surgem muitas dúvidas, mas também muitas verdades. E é por isso que tragédias podem nos tornar maduros, crescidos.

Diante de tragédias fatais, perdemos as referências, pois a morte zomba de nossas explicações simplistas e ri dos nossos clichês evangélicos. O sofrimento diante da morte pode nos ensinar o valor de perdoar e pedir perdão.

O sofrimento nos coloca de joelhos, rosto em terra, em clamor e oração. Faz com que nossos olhos procurem os céus.

“Exultai, ainda que agora por um pouco de tempo, sendo necessário, estejais contristados por várias provações, para que a prova da vossa fé, mais preciosa do que o ouro que perece, embora provado pelo fogo, redunde para louvor, glória e honra na revelação de Jesus Cristo” (I Pe1:6-7).

O sofrimento vai ter uma explicação definitiva

Na eternidade, descobriremos que alguns de nossos maiores males e dores foram nossas maiores e melhores bênçãos na Terra. Mas até lá, devemos viver pela fé. E a fé nem sempre significa ter todas as respostas, pois a relação com Jesus não é uma relação de perguntas e respostas, mas de confiança.

O oposto da fé não é a dúvida intelectual, é o medo, a falta de confiança. Eu posso não entender tudo, não saber explicar, mas eu confio mesmo assim, mesmo sem entender completamente.

Diante da morte nem sempre existem explicações, e talvez elas nem sejam necessárias. Quem sofre diante de um túmulo jamais chora em vão, pois Deus também conheceu a dor da morte. E quando cremos nesse Amor que a tudo criou, perdemos o medo da morte e ela não tem mais domínio sobre nós. Assim, transformamos o “luto” em verbo.

Vanessa Meira

Faça seu comentário