Article

Santa Ceia cerimonia da humildade! – Qua. 28/11

Santa Ceia

Quando eu era criança uma das minhas maiores vontades era tomar a Santa Ceia na igreja. Pegar o cálice de vidro cheio do suco de uva, comer do pão sem fermento, isso tudo me encantava. Mas quando minha mãe escolhia alguém para lavar seus pés eu travava. Por que alguém teria que se abaixar e lavar os pés dela e pior, por que ELA teria que lavar os pés de outra pessoa? Eu, do alto da minha sabedoria de menino de sete, oito anos, acha deselegante tal prática.

Cresci, me batizei e percebi o significado não só do Lava Pés, cerimonia para mim das mais comoventes como da Santa Ceita como um todo. é nesse momento de Ceia, em que temos a chance de sermos mais humildes, mais vazios de nós mesmos do que qualquer outro nas cerimonias de nossa Igreja. é nesse momento em que somos todos iguais, se isso for possível, mais iguais ainda. Somos uniformemente filhos de um Pai que mandou seu Filho a Terra para ser dado a morrer por nós, para carregar a culpa que era nossa, para de forma definitiva se tornar sacrifício vivo que nos daria a vida e vida que nunca mais acaba, antes se renova na sua graça e no seu poder.

Poder contemplar a beleza do Rei eternamente quando ele regressar é algo que deveria nos tocar tão profundamente, deveria nos mobilizar de forma tão única que não deveríamos ter outro pensamento central a não ser o da volta do Glorioso e por ela trabalhar. Ele vai voltar, como diz Felipe Valente em uma de suas canções “Querendo ou não querendo, não tem jeito ele vem”, Se temos isso como convicção clara em nossa vida um dos momentos mais esperados por nós é sem dúvida a cerimonia da Santa Ceia do Senhor.

É nela que encontramos com nossos amigos, familiares, pessoas com quem não falamos tanto em nossa igreja e nos tornamos um. Lavamos os nossos pés e cantamos hinos juntos. Hinos que evocam a beleza da graça de Cristo, que clamam por sua volta. Entramos os homens solteiros em uma sala, as mulheres solteiras em outras e os casais em outra sala reservada para eles também, mas essas salas geralmente são próximas e podemos ouvir a animação dos grupos cantando, lavando os pés dos seus irmãos em um sentimento de humildade tão único que creio só se repetir na próxima Ceia e por isso ela é tão importante para nós cristãos. A Ceia nos lembra que somos todos descendentes de uma linhagem única que o Rei do Universo nos criou e quer que sejamos todos irmãos, todos unidos pois no lar que ele prepara para nós não existirá ruptura de qualquer espécie.

Quando subimos para a segunda parte, tomar o suco e comer do pão, estamos de fato comendo da carne de nosso Senhor Jesus Cristo e bebendo seu sangue. Pode haver simbolismo mais forte de nossa ligação com o Eterno? Como não fechar os olhos e não recriar mentalmente a cena de Jesus crucificado tomando nossas dores, pedindo por água e recebendo vinagre perguntando ao Pai por que havia sido abandonado, tendo por companheiros de infortúnio dois bandidos um a direita e outro a esquerda, logo ele o filho do Rei, em situação tão degradante!

Naquele momento deixamos de ser ovelhas errantes, deixamos de não ter pousada, passamos a ter a esperança de um lar que muito em breve será nosso e nesse lar não haverá mais dores, perdas, apenas alegria por estarmos ao lado do Pai Eterno. A Santa Ceia do Senhor tem essa função primordial: Nos lembrar quem eramos e quem nos tornamos depois do sacrifício de Cristo. Eramos imundos, pecadores fadados a morte, sem perspectiva alguma e Ele olhou por nós. Ele se apiedou de nós, Ele nos amou tanto, mas tanto,  que enviou seu filho sem vacilar.

Quando tomar a sua próxima Santa Ceia, reflita sobre esse amor, tão incomensurável que  nos fez salvos, salvos pelo sangue do Cordeiro, quando nosso destino era a morte e nada além disso. Quando for fazer o Lava Pés, não faça com aquele seu parceiro habitual, essa é uma sugestão que deixo. Busque alguém que não tem tanto contato e se ofereça para lavar os seus pés, somos todos filhos do mesmo Pai então vamos celebrar isso com nosso irmão que vemos ou falamos menos. Eu decidi que no próximo Lava Pés de minha igreja eu não lavarei oS da minha esposa como o de costume, exatamente porque virou um costume, lavarei os pés de alguém que de preferência nem conheça para passar a conhece-lo, para conhecer mais um dos irmãos que Deus me deu, para me integrar de forma absoluta com minha igreja, pois minha igreja nada mais é do que o irmão que senta ao meu lado no banco, seja na Iasd Cotia onde frequento, seja nas inúmeras igrejas que tenho ido.

Olhe para o lado no próximo Sábado. Veja seu irmão com atenção, observe,  busque pontos de convergência entre você e ele. Você vai achar vários! Na próxima Ceia abrace seus queridos como se fosse o último abraço, ame seu irmão lembre-se enfim que o condutor da cerimonia só autoriza tomarmos o suco e comermos o pão JUNTOS. Isso deveria nos dizer alguma coisa não acham?

Davi Miranda Rocha

Share

Nenhum comentário ainda.

Faça seu comentário