Archive | fevereiro, 2013
Article

Aliança eterna – Qui. 28/02

Aliança é um contrato obrigatório entre duas partes, e ambas possuem obrigações específicas na aliança.

As antigas alianças eram tratadas com rigor, repeito e seriedade. Por exemplo, a aliança entre Deus e Abraão, quando o próprio Deus disse que através de Abraão, toda a terra teria conhecimento sobre Deus. Gênesis 21:1.

É difícil acreditar que um povo que viveu por 430 anos sobre o domínio Egípcio, seria o povo escolhido por Deus para fazer uma aliança.

Deus distinguiu este povo dos demais povos da terra Êxodo 33; 40

Deus decide reconstruir o caráter do povo, dedicado a seu nome, aos pés do monte Sinai Êxodo 19, Números 10.

O povo de Israel conheceu apenas a escravidão e a cultura Egípcia durante séculos. Este povo deveria se formar como um exército para conquistar a terra prometida como também deveria trabalhar a moralidade para conviver em uma comunidade que deveria sobreviver a uma longa estadia no deserto.

Além disso, deveriam desligar-se dos costumes pagãos que aprendera por séculos no Egito para que não adotassem as culturas dos cananeus, de quem possuiriam a terra prometida.

No antigo testamento, as alianças eram outorgadas por um suserano (pessoa que possuía todos os poderes) e um vassalo (servo). O suserano garantia ao vassalo, proteção e benefícios.

O suserano sabia que o vassalo estava cumprindo o contrato (aliança) quando o vassalo cumpria as estipulações contidas no contrato. Qualquer desvio de conduta do vassalo, resultaria em castigos ou até mesmo na quebra do contrato.

É importante observar que quando Deus criou a aliança com Israel, Ele utilizou este tipo de contrato. No caso (Javé – O Senhor) suserano e (Israel) vassalo. Dessa forma, para que o povo de Israel tivesse a proteção de Deus, deveria guardar os mandamentos, contidas na aliança. (Êxodo 20 e Deuteronômio 33).

Com isso, podemos observar que a aliança entre Deus e Abraão e com o povo de Israel foi honrada pois hoje o cristianismo chegou até nós através dessas alianças.

A nossa aliança hoje é crer em Cristo, pois a salvação é única e exclusivamente pela graça. Isso não significa que estamos livres para fazer o que bem entendemos ou confundir graça com libertinagem (Tito 3:7-8). Lembre-se que a lei é o caráter de Deus e nossas ações devem estar de acordo com este caráter pois a Lei (João 14:15), jamais foi anulada (Gálatas 2:21). Pois ao aceitar a Cristo, nova criatura somos e imitaremos a Cristo, pois Seu caráter é puro amor (2 Coríntios 5:17), (Efésios 3:8-9). Cristo prometeu voltar e eu sei que Ele irá voltar pois ele sempre honrou o que prometeu.

Quais são as alianças de sua vida? Tem você honrado estas alianças?

Fernando de Oliveira Carvalho

Faça seu comentário
Article

Amor e Respeito – Ter. 26/02

Quando estudava a lição, lembrei-me de um livro que meu noivo e eu lemos: Amor e Respeito. E o tema da lição fala exatamente sobre isso, por isso, eu peço licença para colocar em meu comentário uma parte resumida do livro.

O segredo simples de um casamento melhor

“Como posso fazer meu marido me amar tanto quanto eu o amo?”

Essa foi a pergunta básica que ouvi de muitas e muitas esposas que buscaram meu aconselhamento durante os quase vinte anos em que pastoreei uma congregação em crescimento. Meu coração partia-se enquanto essas esposas choravam e me contavam suas histórias. As mulheres são muito ternas. Em muitas ocasiões, fiquei sentado ali com lágrimas escorrendo pela face. Ao mesmo tempo, fui me aborrecendo com os maridos. Por que eles não conseguiam ver o que estavam fazendo às esposas? Haveria uma maneira de ajudar as esposas a motivar os maridos a amá-las mais?

Depois da formatura na escola militar, fiz as provas para entrar no Weaton College, por acreditar que Deus estava me chamando para o ministério.

Enquanto estive em Wheaton, encontrei uma moça ruiva que iluminava todos os lugares onde ela entrava. Sarah era a pessoa mais positiva, amorosa e altruísta que eu já havia conhecido. Amava o Senhor e queria servir somente a Ele. Pedi Sarah em casamento quando ambos estávamos na faculdade, e ela aceitou. Ainda noivos, tivemos algumas indicações de como maridos e esposas podem iniciar uma discussão a partir de praticamente nada. Naquele Natal, Sarah fez pra mim uma jaqueta jeans. Abri a caixa, segurei a jaqueta e agradeci.

– Você não gostou – disse ela. Olhei para ela totalmente perplexo e respondi:

– Não, gostei sim.

Firme e forte, ela disse:

– Não, você não gostou. Você não ficou animado.

Espantado, respondi:

– Eu realmente gostei dela.

Ela atirou de volta:

– Não, você não gostou; se tivesse gostado, você estaria entusiasmado e me agradecendo bastante.

Essa foi nossa apresentação à maneira como nós reagimos aos presentes. Sarah agradece uma dúzia de vezes quando alguém a toca profundamente,  ela presumiu que eu estava sendo educado e que não via a hora de depositar a jaqueta numa caixa de coleta do Exército da Salvação. Ela estava certa de que não valorizei o que ela fizera e que não gostava dela. Quanto a mim, senti-me julgado por não ser nem agir de determinada maneira. Senti-me como se eu fosse inaceitável.

Como alguém já disse, o problema da vida é que ela é cotidiana. Eu e Sarah irritávamos um ao outro quase diariamente com maus hábitos dos quais não conseguíamos nos livrar. Mas ainda que vagarosamente, descobrimos o “segredo” que fez toda diferença para nós. De fato, não era de modo algum um segredo. Essa passagem das Escrituras de Efésios 5:33, está ali há cerca de dois mil anos para que todos nós a vejamos. É claro que eu já havia lido muitas vezes, até mesmo preguei quando realizava cerimônias de casamento. Contudo, por alguma razão, nunca consegui enxergar a conexão entre amor e respeito.

Quando o marido se sente desrespeitado, é especialmente difícil para ele amar a esposa. Quando a esposa não se sente amada, é especialmente difícil para ela respeitar o marido. Sem amor, ela reage sem respeito. Sem respeito, ele reage sem amor. Assim nasceu o Ciclo Insano!

Minha experiência como conselheiro e como marido confirma essa verdade. A esposa é aquela que pergunta: “Meu marido e ama tanto quanto eu o amo?”

Ela sabe que o ama, mas às vezes fica pensando se ele a ama com a mesma intensidade. Desse modo, quanto ele faz alguma coisa desamorosa, ela em geral reage de maneira negativa. Na opinião delta, ele precisa mudar e ser um homem mais sensível e carinhoso. Infelizmente, a abordagem normal da esposa é reclamar e criticar para, assim, motivar seu marido a tornar-se mais amoroso. Essa abordagem em geral é tão bem-sucedida quanto tentar vender luvas de boxe para madre Teresa de Calcutá. No entanto, não é comum o marido fazer a pergunta: “Será que minha esposa me ama tanto quanto eu a amo?”. Por que não? Porque ele está seguro do amor dela. Em muitos casos, o desgosto da esposa é interpretado pelo marido como desrespeito e até mesmo crítica. Na opinião dele, ela mudou, deixando de ser aquela mulher admiradora e que a tudo aprovava quando eles eram namorados Agora, ela não aprova e faz questão de que ele saiba disso.

O apóstolo Pedro escreveu às esposas dizendo que, se o marido for desobediente à Palavra de Deus, que ele “seja ganho sem palavras, pelo procedimento de sua mulher, observando a conduta honesta e respeitosa de vocês.” (1Pe 3:1-2). Está bem claro que Pedro fala de respeito incondicional. Os maridos que ele menciona são tanto cristãos quanto não cristãos que desobedecem à Palavra. Mas Pedro não está pedindo que as esposas sintam respeito, ele está ordenando que elas mostrem um comportamento respeitoso. Não se trata de o marido merecer respeito, a questão é a esposa estar disposta a tratar seu marido de maneira respeitosa sem estabelecer condições. Portanto, essa passagem deve ser seguida pela fé. A chave para criar no marido profundos sentimentos de amor pra com sua esposa é mostrar a ele respeito incondicional. (Trecho retirado do Amor e Respeito – Emerson Eggerichs – Editora Mundo Cristão)

Érica de Andrade Bornemann

Faça seu comentário
Article

Eu sei que você existe, só preciso te encontrar! – Seg. 25/02

“E disse o homem: Esta, afinal, é osso dos meus ossos e carne da minha carne; seu nome será Mulher, pois foi feita do Homem.” Gênesis 2:23

Domingo foi um dia lindo e emocionante para mim, minha irmã Ale casou. Cerimonia religiosa, festa, fotos, cumprimentos, mensagem e, claro, o tradicional corre-corre para pegar o buquê da noiva. Mentalmente disse que não iria participar, mas não demorou muito para ouvir um coro: ‘cade a irmã mais velha da noiva?’. E lá estava eu, estrategicamente posicionada! Ela contou até três e ele voou para as minhas mãos! Peguei! Foi tão certeiro que ouvi o mesmo coro agora dizendo ‘marmelada! Marmelada!’ Mas foi um momento tão especial e significativo que nem liguei!

‘Quando é o seu? E você não casa? Só falta você agora! Vai ficar pra titia! Você escolhe tanto que vai morrer solteira!” Foram algumas expressões que escutei nos momentos seguintes. Sem contar os inúmeros comentários no Facebook, torpedos, emails que recebi a respeito desse momento durante a semana! Decidi entrar na brincadeira e me divertir de montão. Como mulher, confesso que foi preciso estar bem resolvida para não me sentir incomodada com a situação. Afinal, traz à tona fracassos anteriores e mexe com a expectativa de também encontrar a ‘cara-metade’.

Muitas vezes fico imaginando como ele será, como irá me olhar e abraçar, qual será o tom da sua voz. Diz o costume, que quem pega as flores da noiva se casa depois. Independente da tradição, creio que o mesmo Deus que preparou tudo para Adão, já preparou tudo para mim também. É difícil esperar, mas sei que ele existe e certamente está, neste momento, orando por mim em algum lugar desse “planeta”. Tenho feito a mesma coisa por ele e na hora certa vamos nos encontrar! E então terei o privilégio de ouvir: ‘você é osso dos meus ossos e carne da minha carne!’ e viveremos o tão sonhado ‘felizes para sempre’.

Tatty Barreto

Faça seu comentário
Article

Eu também quero! – Dom. 24/02

Eu creio que a medida que Adão ia nominando os animais que Deus criou e percebendo que todos eles tinham seu correspondente fêmea ele foi se inquietando. Foi vendo que o Urso, o Elefante, o Leão, o Cachorro, enfim, todos eles tinham sua parceira. E ele? Onde estava a sua outra metade? E dai eu creio que ele pensou ” Eu também quero!” E Deus, que em Sua grandeza e sabedoria suprema já sabia que Adão teria este pensamento o fez dormir e providenciou, Eva.

Imagino o coração de Adão acelerado ao ver aquela linda mulher ao abrir os olhos. Você que é casado ou mesmo noivo ou tem sua namorada, consegue se lembrar da emoção que o tomou ao vê-la pela primeira vez? As mãos suando, o coração disparado, os olhos arregalados e um ar de abobado que só nós homens somos capazes de fazer quando vemos uma mulher que percebemos ser especiais entre todas as outras. Adão não era diferente nesse aspecto e deve ter sentido esse turbilhão de sentimentos e ter ficado em um misto de felicidade incontida e timidez inicial.

No entanto Deus não criou Eva apenas para ser a parceira reprodutiva de Adão com o qual eles encheriam o mundo com sua descendência e pronto. Não. Adão e Eva foram criados para ir muito além de todos os animais criados por Deus ao qual Adão tinha já nomeado. Eles iam se amar, se respeitar, iam ser um só em pensamento e unidade, iam passar todos os seus anos juntos o que antes do pecado significava que eles seriam eternamente um casal, enfim Deus instituiu ali o casamento.

O trabalho de Adão, nomeando os animais criou nele um sentimento de necessidade por uma companheira. Esse sentimento nos acompanha até hoje. Não fomos criados para sermos sós. É evidente que existem pessoas que não se casam e são felizes assim, o casamento por si só não define a chance de felicidade ou não de uma pessoa, mas é também fato que um casamento sólido e bem estruturado traz uma felicidade e paz de espirito incomparáveis.

O casamento quando levado com a seriedade que a sua instituição exige faz com que tanto o homem quanto a mulher cresçam em todos os campos de sua vida. Mas isso só acontece quando Deus se torna o centro da vida do casal. Um casamento sem Deus como seu timoneiro tem muito mais chances de naufragar do que um casamento que em que o casal busca incessantemente a orientação divina.

Satanás sabe que destruir a família significa destruir em grande parte a possibilidade de salvação de milhões de indivíduos e sabe que não existe melhor forma de fazê-lo do que atacando o casamento. Imensas são as ciladas do inimigo no caminho de um casal que busca andar nos caminhos do Pai e sem o constante auxílio Dele a derrota é certa, mas por outro lado se firmarmos nosso compromisso de um casamento saudável e feliz aos pés de Cristo nada pode abalar a vida plena e feliz de um casal.

Se olharmos a natureza podemos ver mesmo em animais sem o poder de raciocínio que nós seres humanos temos, demonstrações de carinho e cuidado tanto do macho para com a fêmea e vice e versa e isso deveria nos levar a refletir que se esses seres sem nossa capacidade de escolha acolhem a sua “esposa” e prole quanto mais nós deveríamos fazer por nosso parceiro de uma vida.

E, na verdade, é disso que se trata o casamento: Uma parceria para a vida terrena que vai perdurar na vida eterna quando a alcançarmos. Choramos com nossas esposas e maridos, rimos com eles também, criamos filhos, pagamos contas, compramos o carro novo, a casa, passamos por problemas financeiros, fazemos “bico” quando algo nos desagrada, brigamos eventualmente, fazemos as pazes… Enfim, toda a nossa vida após o dia que casamos é projetada e vivida a dois. Não pode haver espaço para decisões tomadas de forma unilateral e egoísta, não se pode colocar o outro em posição de inferioridade, nem à frente e nem atrás. Somos feitos para caminharmos lado a lado e lado a lado lutarmos pelo bem da família que o casamento constitui.

Se protegemos nosso núcleo familiar das tentações do inimigo, se buscamos os braços de amor de Pai e neles nos abrigamos, temos a receita para um casamento feliz que preserva os valores familiares e que levará a nós e nossa família a vitória final contra o pecado capitaneados por nosso Mestre Jesus. A vida a dois nos torna além de tudo um refúgio para a nossa amada e vice e versa. Se vêm os momentos de dúvida, tristeza, aparente fracasso, um consola ao outro, um encoraja ao outro e assim a vida fica muito mais fácil de ser vivida. Garanto que é uma experiência, a de estar casado, única e maravilhosa mesmo diante de todos os percalços que possam surgir.

Deus instituiu ainda no Éden a família e ela começa no matrimônio. Quando deixamos pai e mãe e com o propósito futuro de nós mesmos nos tornarmos pais e mães escolhemos aquela pessoa que faz com que nossas mãos suem, que nosso coração dispare e que no caso de nós homens, a nossa cara de abobado fique sem possibilidade de disfarce. Sim, existem problemas, existem momentos em que talvez você se pergunte se vale a pena, mas ao olhar para Deus e seu propósito de nos fazer feliz através de um casamento pleno e feliz, esses momentos duram segundos, segundos esses que não são nada perto da eternidade que nos aguarda para ser vivida ao lado de quem amamos.

Davi Rocha

Faça seu comentário
Article

O meu Deus dará tudo o que você precisa – Sex. 22/02

“O meu Deus, segundo a Sua riqueza em glória, há de suprir, em Cristo Jesus, cada uma de vossas necessidades” (Fp 4:19).

O verso para memorizar dessa semana me fez lembrar algo que vivi.

Todos os dias estudo a lição do Rol do Berço com minha filha e sempre incentivo ela a memorizar o versinho. A Lição do Rol do berço é diferente, não é como a nossa que toda semana fala sobre um assunto diferente mesmo tendo a lição o mesmo tema. Na lição do Rol contamos a mesma história o mês inteiro para criança ou seja todos os dias lemos a mesma história. E em agosto do ano passado estávamos estudando a lição “Alimento para Elias”. Nesse mesmo mês passávamos por uma situação financeira complicada.

Aqui em casa apenas meu marido trabalha enquanto fico em casa me dedicando a educação da minha filha e me dedicando ao lar. Aquele mês estávamos muito preocupados pois ele estava desempregado.

Até que um certo dia, em um momento que estávamos desanimados minha filha com seus olhinhos encantadores, usada pelo Santo Espirito de Deus olhou para mim e disse: Mamãe – “O meu Deus, dará tudo o que vocês precisam.” (versinho Rol – Fp4:19)

Tenho plena convicção que ela foi usada por Deus para nos alertar, nos consolar e deixar nossas preocupações de lado sabendo que Deus estava no controle de tudo! Descansamos em Deus! E realmente nada nos faltou, ficamos preocupados a toa!

Que dera se escutássemos o conselho de nosso Mestre.

“Por isso vos digo: Não estejais ansiosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer, ou pelo que haveis de beber; nem, quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o alimento, e o corpo mais do que o vestuário? Olhai para as aves do céu, que não semeiam, nem ceifam, nem ajuntam em celeiros; e vosso Pai celestial as alimenta. Não valeis vós muito mais do que elas?” Mateus 6:25-26

Nos preocupamos, olhamos para o “amanhã” sendo que o “hoje” ainda nem terminou e esquecemos de olhar para o “ontem” e ver quantas coisas o Senhor ja fez por nós.

Não importa qual seja a nossa necessidade Deus irá suprir de acordo com Sua vontade! Nada nos faltará, já dizia o salmista. O Senhor nunca nos faltará! Ele estará conosco sempre, provendo, suprindo e mantendo e algumas vezes dá mais do que necessitamos, porque é um Pai de amor, muitas vezes faz até alguns “mimos” a seus filhos. Que Deus lindo!

Ele é quem nos fez e que controla cada célula do nosso corpo, cada batida do nosso coração e se respiramos é porque Ele ordena que isso aconteça. Pra que temer, se preocupar?

Se for necessário ele enviará corvos para nos alimentarem assim como fez com Elias (1Reis 17:2-4). Se for necessário ele usará pessoas para nos darem de comer e para nos fazer lembrar de que Ele é que sustem todas as coisas. Mas não passaremos necessidade porque o Senhor é conosco!

“Aquietai-vos, e sabei que eu sou Deus.” Salmos 46:10

Confiemos e deixemos ele agir e ser nosso Deus!

Forte Abraço

Um sábado abençoado

Danielle Prado

Faça seu comentário