Article

Amor e Respeito – Ter. 26/02

Quando estudava a lição, lembrei-me de um livro que meu noivo e eu lemos: Amor e Respeito. E o tema da lição fala exatamente sobre isso, por isso, eu peço licença para colocar em meu comentário uma parte resumida do livro.

O segredo simples de um casamento melhor

“Como posso fazer meu marido me amar tanto quanto eu o amo?”

Essa foi a pergunta básica que ouvi de muitas e muitas esposas que buscaram meu aconselhamento durante os quase vinte anos em que pastoreei uma congregação em crescimento. Meu coração partia-se enquanto essas esposas choravam e me contavam suas histórias. As mulheres são muito ternas. Em muitas ocasiões, fiquei sentado ali com lágrimas escorrendo pela face. Ao mesmo tempo, fui me aborrecendo com os maridos. Por que eles não conseguiam ver o que estavam fazendo às esposas? Haveria uma maneira de ajudar as esposas a motivar os maridos a amá-las mais?

Depois da formatura na escola militar, fiz as provas para entrar no Weaton College, por acreditar que Deus estava me chamando para o ministério.

Enquanto estive em Wheaton, encontrei uma moça ruiva que iluminava todos os lugares onde ela entrava. Sarah era a pessoa mais positiva, amorosa e altruísta que eu já havia conhecido. Amava o Senhor e queria servir somente a Ele. Pedi Sarah em casamento quando ambos estávamos na faculdade, e ela aceitou. Ainda noivos, tivemos algumas indicações de como maridos e esposas podem iniciar uma discussão a partir de praticamente nada. Naquele Natal, Sarah fez pra mim uma jaqueta jeans. Abri a caixa, segurei a jaqueta e agradeci.

– Você não gostou – disse ela. Olhei para ela totalmente perplexo e respondi:

– Não, gostei sim.

Firme e forte, ela disse:

– Não, você não gostou. Você não ficou animado.

Espantado, respondi:

– Eu realmente gostei dela.

Ela atirou de volta:

– Não, você não gostou; se tivesse gostado, você estaria entusiasmado e me agradecendo bastante.

Essa foi nossa apresentação à maneira como nós reagimos aos presentes. Sarah agradece uma dúzia de vezes quando alguém a toca profundamente,  ela presumiu que eu estava sendo educado e que não via a hora de depositar a jaqueta numa caixa de coleta do Exército da Salvação. Ela estava certa de que não valorizei o que ela fizera e que não gostava dela. Quanto a mim, senti-me julgado por não ser nem agir de determinada maneira. Senti-me como se eu fosse inaceitável.

Como alguém já disse, o problema da vida é que ela é cotidiana. Eu e Sarah irritávamos um ao outro quase diariamente com maus hábitos dos quais não conseguíamos nos livrar. Mas ainda que vagarosamente, descobrimos o “segredo” que fez toda diferença para nós. De fato, não era de modo algum um segredo. Essa passagem das Escrituras de Efésios 5:33, está ali há cerca de dois mil anos para que todos nós a vejamos. É claro que eu já havia lido muitas vezes, até mesmo preguei quando realizava cerimônias de casamento. Contudo, por alguma razão, nunca consegui enxergar a conexão entre amor e respeito.

Quando o marido se sente desrespeitado, é especialmente difícil para ele amar a esposa. Quando a esposa não se sente amada, é especialmente difícil para ela respeitar o marido. Sem amor, ela reage sem respeito. Sem respeito, ele reage sem amor. Assim nasceu o Ciclo Insano!

Minha experiência como conselheiro e como marido confirma essa verdade. A esposa é aquela que pergunta: “Meu marido e ama tanto quanto eu o amo?”

Ela sabe que o ama, mas às vezes fica pensando se ele a ama com a mesma intensidade. Desse modo, quanto ele faz alguma coisa desamorosa, ela em geral reage de maneira negativa. Na opinião delta, ele precisa mudar e ser um homem mais sensível e carinhoso. Infelizmente, a abordagem normal da esposa é reclamar e criticar para, assim, motivar seu marido a tornar-se mais amoroso. Essa abordagem em geral é tão bem-sucedida quanto tentar vender luvas de boxe para madre Teresa de Calcutá. No entanto, não é comum o marido fazer a pergunta: “Será que minha esposa me ama tanto quanto eu a amo?”. Por que não? Porque ele está seguro do amor dela. Em muitos casos, o desgosto da esposa é interpretado pelo marido como desrespeito e até mesmo crítica. Na opinião dele, ela mudou, deixando de ser aquela mulher admiradora e que a tudo aprovava quando eles eram namorados Agora, ela não aprova e faz questão de que ele saiba disso.

O apóstolo Pedro escreveu às esposas dizendo que, se o marido for desobediente à Palavra de Deus, que ele “seja ganho sem palavras, pelo procedimento de sua mulher, observando a conduta honesta e respeitosa de vocês.” (1Pe 3:1-2). Está bem claro que Pedro fala de respeito incondicional. Os maridos que ele menciona são tanto cristãos quanto não cristãos que desobedecem à Palavra. Mas Pedro não está pedindo que as esposas sintam respeito, ele está ordenando que elas mostrem um comportamento respeitoso. Não se trata de o marido merecer respeito, a questão é a esposa estar disposta a tratar seu marido de maneira respeitosa sem estabelecer condições. Portanto, essa passagem deve ser seguida pela fé. A chave para criar no marido profundos sentimentos de amor pra com sua esposa é mostrar a ele respeito incondicional. (Trecho retirado do Amor e Respeito – Emerson Eggerichs – Editora Mundo Cristão)

Érica de Andrade Bornemann

Share

Nenhum comentário ainda.

Faça seu comentário