Archive | outubro, 2014
Article

A Lei da Morte – Sex. 31/10

veronika-decide-morrer

Ontem ouvi a notícia de uma mulher nos Estados Unidos marcou a data para sua morte. Ela possui um câncer cerebral incurável e antes que começasse a sofrer mais com a doença, ela decidiu morrer. Além disso, ela luta para que uma lei que autorize a morte digna de pacientes terminais ou portadores de doenças incuráveis, para que as pessoas não venham a ter uma morte sofrida e dolorosa por causa desse tipo de doença. Uma lei que autorize a escolha da morte em detrimento à dor e ao sofrimento.

Quando o pecado invadiu este mundo, muita dor, muitas doenças e muito sofrimento vieram junto com ele. E uma palavra nova foi adicionada ao vocabulário: MORTE. “Pois o salário do pecado é a morte…” (Rm 6:23) Como é triste pensar na elaboração de uma lei que autorize a morte de quem não suporta mais viver e sofrer as implicações de doenças que são consequências do pecado.

560094_354497547997722_1096063629_n

Mas “a Lei do Senhor é perfeita e restaura a alma” (Sl 19:7). E apesar de viver num mundo cheio de maldade e tristeza, sabemos que Alguém já pagou o salário do pecado e nos deu o direito a ter seu dom gratuito que é a vida eterna. Entretanto temos que viver aqui como Ele nos recomendou: “vocês devem cumprir o Princípio maior das Escrituras: Ame o próximo como a você mesmo” (Tg 2: 12).

Transbordar amor a todos os que sofrem e que necessitam descobrir o que já sabemos sobre a salvação libertadora que Cristo nos concedeu. Na maioria das vezes, só queremos amar aqueles que nos amam e nos favorecem de alguma forma. Outras vezes nosso “amor” não passa de mera bajulação. Porém não é isso que Deus espera de nós, ao contrário: “falem e ajam como quem espera ser julgado pela lei que liberta.” (Tg 2: 12 AM)

esperança (1)

O mundo precisa de mais amor e misericórdia. De pessoas que ajam com bondade, portadores de esperança. Não devemos levar mais dor e sofrimento aos outros. Precisamos levar a Lei do amor para um mundo busca Lei da morte.

Olívia David Begnália

Faça seu comentário
Article

Onde está o amor? – Ter. 28/10

CJ_101028_01

No último domingo passamos pela última etapa de um momento decisivo em nosso país: 2º turno das eleições. Nunca fiquei tão chateada ao olhar o Facebook como nessa semana. Assim que o resultado foi dado, começaram a surgir ofensas e mais ofensas por todos os lados. Em um pequeno instante, essa rede social foi transformada em um cenário de pura intolerância. Surgiu uma grande divisão, seguida de ataques verbais, com argumentos que mostram nada menos do que o total desrespeito ao próximo.

CJ_101028_02

Não importa se somos nordestinos, paulistas ou até mesmo se somos estrangeiros. Não existe ninguém melhor, nem maior, porque todos somos filhos de um Deus que nos ama com um amor único e que pagou um alto preço para que hoje pudéssemos viver. Então eu me pergunto: onde está o amor? Onde está a resposta a esse amor tão profundo que imerecidamente recebemos dEle?

Jesus disse: “Se vocês Me amam, obedecerão aos Meus mandamentos.” (João 14:15) E no que se resumem os Seus mandamentos? No amor! O amor é a essência, e se dizemos que amamos a Deus, mas não amamos ao nosso próximo, somos mentirosos e deixamos de cumprir a Sua lei. Não serão sermões eloquentes, muito menos uma vida pautada no cristianismo de aparência que mostrará aos outros que conhecemos a Cristo e O amamos! Serão os nossos atos que o farão!

CJ_101028_03

Que possamos refletir em nossas atitudes e que o amor seja o que nos motive a agir. Que o amor possa ser colocado em prática em nossa vida diariamente e que ele possa ser visto nos mais pequenos detalhes! Que quando alguém perguntar: “Onde está o amor?”, ele seja encontrado em nós, em nossas palavras e principalmente em nossas ações!

Karen Ferreira

Faça seu comentário
Article

Liberdade – Seg. 27/10

dv485120

Facilmente a obrigação do cumprimento de uma lei é confundido com quebra de liberdade, afinal, se estou sendo obrigado a cumprir algo, a minha liberdade está sendo violada. O cumprimento ou não destas leis geram consequências. Podemos tomar como exemplo básico as leis civis. As leis civis servem para proteger a sociedade. É necessário que haja leis para estabelecer limites entre os cidadãos. Se um cidadão descumpre alguma lei, estará cometendo um crime pois estará prejudicando outro cidadão, e deve ser punido. Algumas vezes a punição é em forma de reclusão, que é uma privação da liberdade e em alguns países o criminoso é punido com a própria vida.

growth

Na Bíblia encontramos Leis dadas por Deus. Logo na criação do mundo, Deus estabelece alguns limites para o ser humano no Jardim do Éden para mantê-los livres e desfrutar de toda a criação, que até então era perfeita. Eles continuariam sendo livres enquanto escolhessem amar à Deus e não comessem da árvore do conhecimento. Infelizmente eles escolheram deixar Deus em segundo plano e a consequência veio em forma de privação de liberdade. Eles não tinham mais como escolher. Sua punição veio em forma de morte (espiritual – Gn 2:17).

sangue-de-jesus-cristo

Felizmente, Deus nos ama tanto que nos Deus a liberdade novamente através do sangue de nosso Senhor Jesus Cristo. Quando amamos a Deus, guardamos Seus mandamentos (Jo 14:15) e mantemos a nossa liberdade. Deus deseja que desfrutemos de uma liberdade maior do que esta que vivemos neste mundo. Ele deseja que herdemos a liberdade completa ao Seu lado no lar celestial (Jo 14:1-3).

Sílvio Mafra Junior

Faça seu comentário
Article

Em Meio ao Nevoeiro – Sex. 17/10

o-nevoeiro

Em meu caminho de casa para o trabalho, várias vezes me deparei com a neblina. A visão num dia assim fica bem comprometida. Na região onde moramos, esse fenômeno acontece ao amanhecer, porém conforme o sol vai surgindo e o dia vai esquentando, as nuvens densas passam a dissipar e a visão fica livre de obstáculos.

Em nossa vida cristã passamos por dias de nevoeiro também. Ficamos tão distantes de Cristo que nossa visão tornar-se deturpada, não enxergamos as coisas como elas devem ser, tentamos cumprir os mandamentos sozinhos, nos tornamos legalistas e passamos a julgar o comportamento dos outros. Ou ao invés disso, passamos a achar que não precisamos da lei, que vivemos no tempo da graça e não importa o que façamos já estamos salvos. Acabamos vivendo nos extremos, cobertos por uma camada densa de nuvens de desculpas que damos a nós mesmos a respeito da vida que levamos longe de Deus.

America-Latina-Stone-Nevoeiro_680

A névoa do Eu distorce completamente a visão que temos a respeito de Deus. Aos poucos, nos tornamos cegos, pois o senso de justiça própria nos impede de ver a justiça divina. Somos santos da boca para fora, porque por dentro não há amor e como disse Tiago: “qualquer um que se considere ‘religioso’ e fala demais está se enganando. Esse tipo de religião é mera conversa fiada. Religião de verdade, que agrada a Deus, o Pai, é esta: cuidem dos necessitados e desamparados que sofrem e não entrem no esquema de corrupção do mundo sem Deus” (Tg 1: 26 e 27 AM)

68904008f966ea86ffdacaa829261e3d_L

Mas há uma esperança para aqueles que se encontram perdidos nessa cerração. Ao nos aproximarmos do Sol da Justiça, começamos a ver direito, a enxergar nossos defeitos e a nos afastarmos deles. A luz divina dissipa o medo, a dúvida, o engano e o erro. Então tudo se torna claro. A verdade faz-se evidente, pois “quem dá a devida atenção à Mensagem de Deus e a vive na prática […] essa pessoa vai longe e será abençoada por Deus” (Tg 1:25 AM).

Olívia David Begnália

Faça seu comentário
Article

O tempo é agora! – Qua. 22/10

CJ_141022_01

Houve um tempo em que fui ensinada no caminho em que devia andar
Houve um tempo em que junto com amiguinhos cantava em um coral
Houve um tempo em que tive o prazer de descer as águas batismais
Houve um tempo em que fazia uma leitura complexa em conjunto
Houve um tempo em que nada abalava minha fé
Houve um tempo em que as ideias iam e viam a todo vapor
Houve um tempo em que tive experiências práticas inesquecíveis

CJ_141022_02

Houve um tempo em que aprendi tentando ensinar
Houve um tempo em que eu era apenas ouvinte
Houve um tempo em que eu apenas “esquentava o banco” da igreja
Houve um tempo em que me convidavam e eu negava
Houve um tempo em que ora fazia, ora furava compromissos
Houve um tempo em que queria abraçar todos os ministérios da igreja
Houve um tempo em que não faltava a um culto se quer
Houve um tempo em que recebi “nãos”de Deus para meu aprendizado

CJ_141022_03

Houve um tempo em que fazia e me gloriava de tal
Houve um tempo em que fazia e agradecia a Deus por aquele dom
Houve um tempo em que nada estava a meu favor
Houve um tempo em que parecia que não teria mais forças para continuar
Houve um tempo em que a dúvida começou a surgir
Houve um tempo em que o desânimo parecia tomar conta de mim
Houve um tempo em que minha única saída era louvar
Houve um tempo em que entendi que só Deus é dono do tempo
Há tempo para que eu fale do amor, palavras eternas por onde for.

Nossa caminhada cristã é cheia de altos e baixos, mas enquanto estivermos preocupados com apenas a NOSSA caminhada, o trajeto será bem mais difícil. Que tal convidar alguém hoje para caminhar com você? O tempo é agora!

Jacqueline Ferreira

Faça seu comentário