Archive | janeiro, 2015
Article

Aprender a Aprender – Sex. 30/01

06122014103601aprender

Eu gosto muito de aprender coisas novas e de me aperfeiçoar em outras que de alguma forma já sei. É muito bom saber mais e mais. Ter aquela sensação boa de aprender uma novidade ou descobrir algo que não sabia. Nas férias, estive imersa em muita aprendizagem e foi muito bom. Fiquei muito feliz em aprender mais de culturas diferentes daquela em que estou inserida e conviver com pessoas que em outra situação jamais conviveria.

Mas aprender não é tão simples assim, requer humildade, pois é necessário perceber suas dificuldades e falhas para então poder ter dedicação no que está em falta. É um processo que às vezes pode ser doloroso, pois nem sempre é fácil lidar com aquilo que nos traz dificuldade.

tumblr_lqpompujY41r0aag6o1_500

Ao longo dessas semanas no curso do qual participei, vi algumas pessoas pensando em desistir, pois achavam muito difícil algum ponto ensinado ou porque estavam envergonhadas de se submeterem a determinada prova pelo medo de errar. Eu mesma sou uma pessoa que tem muito medo de errar, ainda mais se for em público. Demonstrar nossas fraquezas é como tornar-se exposto ao julgamento dos outros e isso pode ser bem doloroso. Então parece que desistir parece ser bem mais fácil do que ser provado e não passar.

2uj412v

Entretanto, a Bíblia nos diz que “quem gosta de aprender também ama a disciplina; é estupidez recusar a correção” (Pv 12:1 AM). Para ter sabedoria, para aprender, é necessário ser corrigido, reconhecer os nossos erros e tentar até acertar. Pode ser um processo árduo, mas certamente será recompensador, afinal “quem recusa a disciplina acaba na sarjeta, mas quem abraça a correção é honrado” (Pv 13:18 AM).

Se você está lutando para aprender algo que supõe ser muito difícil, sinta-se desafiado, aceite a correção e siga aprendendo!

Olívia David Begnália

Faça seu comentário
Article

Justificados por Jesus – Qui. 29/01

Já faz algum tempo vi um os seguintes dizeres no facebook:

não

E pensei: “Nossa então tem mais cristãos no mundo do que pensava!!”

Se seguir a Cristo se resume em apenas isso, se seguir a Cristo se resume nessa arrogância de fazer uma listinha de “coisas que não faço”.

Para algumas pessoas que confiavam em sua própria justiça e menosprezavam os outros, Jesus contou ainda esta parábola: “Dois homens subiram ao templo para orar; um era fariseu e o outro, publicano. O fariseu, em pé, orava em seu íntimo: ‘Deus, eu te agradeço porque não sou como os outros homens: roubadores, corruptos, adúlteros; nem mesmo como este cobrador de impostos. Jejuo duas vezes por semana e dou o dízimo de tudo quanto ganho’. Entretanto, o publicano ficou à distância. Ele sequer ousava olhar para o céu, mas batendo no peito, confessava: ‘Ó Deus, sê benevolente para comigo, pois sou pecador’. Eu vos asseguro que este homem, e não o outro, foi para sua casa justificado diante de Deus. Porquanto todo aquele que se vangloriar será desprezado, mas o que se humilhar será exaltado!” Jesus abençoa os pequeninos.” Lucas 18:9-14

575631_4154048788996_914956976_n

Podemos cair no erro de acharmos que somos justos, por fazermos ou por deixarmos de fazermos tais coisas. Mas é primordial saber que é Cristo é quem nos justifica, é Ele e somente Ele quem apaga nossos pecados, enquanto andamos ao lado dEle, diariamente.

“Observe: o alvo do crescimento cristão não é determinado por qualquer agenda perfeccionista, com motivações falsas. Foi Jesus quem estabeleceu o cenário para resposta cristã radical, que nos convida a tomar a cruz e morrer diariamente.” Amin A. Rodor

Uma vida de consagração à Deus! Isso é andar em sabedoria.

Jesus Quadro

Sem Ele eu nada posso fazer, sem Ele tudo que eu fizer é trapo de imundícia.

E são muitas as recompensas de andar ao lado dEle, perdão, transformação de vida, saúde, cura e vida, não essa aqui, curtinha. Vida Eterna!

Experimente!

Danielle Prado

Faça seu comentário
Article

Segundas intenções – Ter. 27/01

Todos almejamos algo em nossa vida, em qualquer aspecto que seja. Conquistar determinada pessoa, ser promovido, ter boas notas, investir em algo que dê retorno, ganhar presentes, enfim, todos anelamos ser bem sucedidos em nossas tentativas. Afinal, é terrível ficar frustrado por algo que não deu certo, não é mesmo?! Sem perceber, na maioria das vezes agimos com “segundas intenções”.

Comentário Jovem 01 (6)

Quando éramos mais novas, eu e minhas irmãs aguardávamos ansiosamente a minha mãe chegar em casa, para pedirmos alguma coisa. Caso a resposta fosse negativa tínhamos a resposta na ponta da língua: “Mas limpamos a casa toda, ela está ‘um brinco’.” Nem sempre ela dava o que pedíamos, porque precisávamos aprender que quando fazemos algo, não podemos esperar nada em troca. E aprendemos, porque quando não pedíamos nada, ela reconhecia o que havíamos feito e nos dava a nossa “recompensa”.

Comentário Jovem 02 (6)

Em nossa vida espiritual ocorre da mesma forma. Tentamos seguir os mandamentos de Deus, para que tudo seja lindo e perfeito. Mas erramos na primeira tentativa. A verdade é que já temos a nossa recompensa, a salvação em Cristo Jesus, e esse amor é o que nos motiva a viver! Então pensamos: “Ah, Deus perdoa mesmo, então vou fazer tudo o que quero e depois peço perdão!” Assim., caímos em nossa própria armadilha. Tudo bem que não precisamos fazer nada para obter a salvação, visto que ela é um presente concedido por Deus. Mas a partir do momento que somos salvos por Seu sangue, temos uma vida diferente, que reflete o Seu caráter (ou pelo menos deveria). Não somos merecedores desse presente, mas diariamente Ele nos dá a oportunidade de sermos salvos novamente, para termos a esperança de um futuro infinito ao Seu lado!

Arrow Approaching Its Target

“[…] esquecendo-me das coisas que ficaram para trás e avançando para as que estão adiante, prossigo para o alvo […].” (Filipenses 3:13 e 14) Que a nossa primeira, segunda, terceira intenção seja passar a eternidade ao Seu lado!

Karen Ferreira

Faça seu comentário
Article

Quem Tem Boca Vaia o Pecado! – Seg. 26/01

The_Bible_Worship_Background

A Bíblia é o livro que Deus outorgou à humanidade para delinear-lhe o plano da salvação. Além disso, revela a maneira como devem viver os que querem ser salvos, em contraste com a consequência do comportamento dos ímpios. Ela explica também, de forma muito clara, que cada órgão do nosso corpo deve ser colocado em marcha contra o pecado, operando assim a nossa “salvação com temor e tremor”. Filipenses 2:12

Temos nas Escrituras inúmeras menções ao corpo humano. Isaías ensina que os pés dos que anunciam o evangelho são muito formosos! (Isaías 52:7). Jeremias recomenda não fazermos do braço humano a nossa força (Jeremias 17:5). Sem falar nas citações à mente, coração, ao sinal da Besta colocado na testa e na mão direita, e ao selo de Deus colocado na testa, conforma Apocalipse 7, 13 e 14.

bullying

As citações aos órgãos relacionados à fala (boca, língua, lábios, garganta) provavelmente superem as de todos os outros órgãos. Só no livro de Provérbios são mais de cem! Isso mesmo que você leu! Mais de cem vezes o livro se preocupa com o que dizemos ou não dizemos, pois o silêncio dos bons diante da injustiça também é denunciado. Provérbios 31: 8 e 9 nos conclamam em favor da justiça: “Erga a voz em favor dos que não podem defender-se, seja o defensor de todos os desamparados. Erga a voz e julgue com justiça; defenda os direitos dos pobres e necessitados”.

CORAÇÃO+DA+MULHER

Salomão e os outros autores do livro se preocupam com a nossa boca; se preocupam com a violência, maledicência, orgulho, arrogância, ganância e demais fraquezas que nossa língua pode revelar. O conceito é o mesmo que levou Cristo a declarar que “a boca fala do que está cheio o coração” (Mateus 12:34). Quando Salomão contrasta a boca dos justos – que fala de paz, da verdade e revela amor e respeito – e a boca dos ímpios, cheia de perversão e violência, o que está implícito é que a boca é, obviamente, porta-voz do que somos de fato. Posso ver uma paráfrase do famoso e distorcido provérbio latino: “Quem tem boca vaia Roma”. Na Bíblia, o convite é: “Quem tem boca vaia o pecado!”

Daniel Makawetskas

Faça seu comentário
Article

O crime não compensa – Dom. 25/01

10943534_1009531892394757_1431255462_n

Ontem, navegando pelo Facebook, encontrei um post que dizia o seguinte: “Com o tempo a gente aprende que bondade e blush tem que ser na medida certa, senão a gente acaba virando palhaça”. Num primeiro momento, cheguei a achar engraçado e até concordar com isso mas, em seguida, refletindo um pouco melhor, comecei a pensar que não, as coisas não são bem assim ou, pelo menos, não precisam ser assim. Vivemos numa sociedade tão competitiva e egoísta que os valores estão invertidos e, por vezes, ser bom é ser bobo. Confesso que já me senti feita de boba varias vezes após dedicação sincera a pessoas que não me valorizaram ou não valorizaram o que fiz, quem nunca?

1320166619441_f

Nesses momentos, imediatamente vem à mente um desejo de vingança ou de “também não faço mais, não ajudo mais, vou parar de fazer papel de palhaço”. Então, eu me lembro de um conselho que minha mãe sempre repete: “A pessoa para a qual você prestou esse favor não valorizou o que você fez mas você não deve deixar de ser bom porque alguém não o foi com você. Seja bom porque você é bom, essa é a sua essência, sempre será e, por isso, espalhe a bondade por você, não pela reação dos outros. E não é que faz todo sentido?

ser-bom

Provérbios 10:1-7 fala, em outras palavras, que o crime não compensa nem na vida aqui nesta Terra nem na eternidade. Salomao reforça que fazer o bem e andar corretamente são atitudes sabias e que a justiça pertence a Deus. No momento certo, Ele dará, cada um o que merecer, conforme as suas obras. Portanto, vale a pena termos bem definido o que queremos ser e agir de forma correta e consciente perante Deus e perante o próximo porque essa é nossa essência e não porque seremos reconhecidos por isso ou não.

“Quando o princípio celestial do eterno amor encher o coração, ele fluirá para outros, não meramente porque favores são recebidos deles, mas porque o amor é o princípio da ação e modifica o caráter, governa os impulsos, controla as paixões, subjuga inimizades, eleva e enobrece as afeições. (…) Esse amor cultivado no coração torna agradável a vida inteira e projeta sua enobrecedora influência sobre todos ao redor.” Testemunhos para a igreja, vol. 4, pág. 223,224. A escritora cristã Ellen White, nesta passagem, endossa aquilo que minha mãe sempre reforçou, seja bom porque esse é você, não porque os outros são maus.

Que nesta semana nossos atos sejam dirigidos pela bondade genuína na esperança de que nossa recompensa virá das mãos de Deus, que é justo e não tarda.

Aline Alcântara

Faça seu comentário