Archive by Author
Article

Uma questão de fidelidade – Dom. 23/09

Não faz muito tempo, ouvi o testemunho de alguém que se converteu por causa de um skate. Um jovem andava de skate numa descida quando inexplicavelmente o skate travou não se locomovendo nem para trás nem para frente, ao olhar ao redor o jovem percebeu que estava parado exatamente na frente de uma igreja adventista. Parado ali ouviu uma voz  convidando-o a entrar e dizendo: “Aqui é o seu lugar”.

Lembro-me que quando contei essa história para meu irmão ele riu em tom de ironia, então eu perguntei:

– Você não acredita que foi intervenção divina?
– Não é isso – disse meu irmão
– Então o que é? – perguntei – Acha que Deus apenas realiza milagres grandes? Coisas profundamente extraordinárias?
– Na verdade acho que qualquer coisinha vocês acham que foi Deus. Algumas coisas simplesmente acontecem, não significa que as rodas de um skate possam necessariamente ter sido travadas por Deus, pode ter sido um erro de fábrica, um defeito, calhou de travar na frente da igreja.
– Por que você acha que Deus não faz milagres maiores? – perguntei a meu irmão – Poderíamos ver algo sobrenatural com nossos olhos não acha?
– Eu não sei – respondeu meu irmão
– Porque Deus não precisa provar Quem Ele é por poder, Ele já prova através de Seu amor. Se nós não somos capazes de acreditar nos milagres simples que vemos como acreditaríamos em milagres maiores?
– Seria mais fácil acreditar em milagres maiores do que em milagres como esses! – respondeu meu irmão.
– Se fosse assim – eu respondi – o povo israelita que viu o mar se abrir, as dez pragas caírem sobre o Egito e o maná cair do céu teriam sido salvos. Mesmo vendo todas essas coisas eles não permaneceram fiéis a Deus até o final da jornada.

Permanecer fiel a Deus é mais do que uma questão de obediência, é uma questão de amor. Não importa quão falhos sejamos, Deus sempre permanece fiel para conosco.

Quando Deus nos pede para sermos fiéis tem como objetivo nos manter a salvo de todo tipo de maldade. Se seguirmos as instruções que nos foi dada não vacilaremos na nossa fé, esperança e confiança em Deus.

“Irmãos, permaneçam firmes e apeguem-se às tradições que lhes foram ensinadas, quer de viva voz, quer por carta nossa” II Ts 2:15

“Certos pilares da verdade definem a Igreja Adventista. Cremos que a Bíblia é a palavra oficial de Deus; que Jesus é nosso todo-suficiente Salvador; que o sétimo dia, o sábado é uma lembrança contínua de Seu amor; e que Jesus um dia voltará para levar Seus seguidores para o Lar.

É importante estudar esses pilares, porque “falsas verdades” proliferam quase todos os dias. Mesmo dentro de nossa própria igreja, falsos líderes provocam discórdia e levam pessoas a questionar doutrinas básicas da Bíblia. Por essas razões, precisamos conhecer o que cremos. Precisamos testar outras crenças pela Palavra de Deus. (…) Deus nos chamou para a nobre tarefa de dizer ao mundo escuro a verdade como ela é em Jesus. A obra de manter a igreja fiel até a vinda de Cristo depende de nosso desejo de andar nas pegadas dEle, que é nosso exemplo.” (Lição do Jovens).

Me impressiono em perceber que mesmo diante das murmurações dos israelitas Deus sempre permaneceu amando-os e sendo fiel para com eles. Mesmo sendo o povo que mais recebeu luz na face da Terra e mais presenciou o poder divino em suas vidas desistiam facilmente porque não eram capazes de lembrar ou de valorizar as verdades que Deus pouco a pouco revelava.

Deus permanece o mesmo, nos mostra o caminho certo a seguir, ilumina o caminho e nos instrui quanto ao engano, não importa as lutas e dificuldades Deus permanece fiel para conosco e continuará sendo enquanto seguirmos os princípios que Ele nos ensinou.

“Em vez de ser surpreendido e desanimado pelas dificuldades da vida cristã, o crente deve ter esperança em saber que Deus está presente com ele a fim de lhe prover a força para vencer.” (Prévia da semana da Lição dos Jovens).

Gladys Angélica

Faça seu comentário
Article

Sim, Deus sabe… – Dom. 09/09

Os pensamentos que envolvem a maioria das pessoas da sociedade tendem algumas vezes a serem um tanto parecidos. De alguma forma o sistema operacional de nossas mentes parece muitas vezes ser um tanto egoísta.

O que quero dizer é que as pessoas tendem a criar em volta de si uma realidade construída a base de segurança (nesse caso, uma segurança social). Todos escolhemos um, dois ou três amigos e compartilhamos entre nós mesmos coisas equivalentes a nossos interesses. Dentro desse conceito de “panela” existem certos grupos ou certas pessoas que parecem criar inimizade entre si e entre outros grupos. A sensação de que há alguém tramando algo contra você parece constante.

Apesar da lição da escola sabatina desta semana estar tratando sobre “as promessas aos que são perseguidos” gostaria que você atentasse para um outro quesito que pode sim ser usado contra você pelo inimigo maior. Trata-se da ideia de imaginar ou sentir que outras pessoas estão contra você mas que na verdade não estão.

Por experiência com pessoas próximas a mim sei que há a sensação forte de que você não é bem-vindo (a) em certo lugar. Parece que seus ouvidos ouvem cochichos a seu respeito ou vêem olhares que as condenam. Existem muitas vezes que isso é verdade, mas existem outras tantas, na mesma proporção, que são impressões falsas que o grande inimigo de Cristo realiza.

Existem momentos de nossa vida que independente da posição que tomamos haverá alguém em algum lugar que se incomodará com a sua forma de ser. Caso você seja um cristão a probabilidade disso acontecer aumenta mil vezes, pois os olhos de Satanás estão voltados para você, e em busca de sua ruína ele usará quantas pessoas puder para exercerem o ódio que ele mesmo sente por ti.

Atente para a coisa mais importante de todas. Nada passa desapercebido diante dos olhos divinos. Ellen White diz que nem sequer a folha de uma árvore cai sem o Seu consentimento.

Deus, vê todas as coisas que cercam sua vida e provê a cada dia uma forma de livrar você do perigo. “Deus está ciente das injustiças infligidas aos Seus seguidores e reivindicará a fidelidade deles, e punirá seus inimigos quando Cristo voltar.” (Lição dos Jovens).

A promessa de Deus consiste em ser nosso alicerce. Se de alguma forma você for injustiçado Deus é justo para reverter a situação a seu favor. A justiça divina é tão segura que se estivermos confiantes em Suas promessas e firmemente apegados a Jesus não seremos abalados por qualquer tipo de perseguição. Mantendo o foco no ponto certo não seremos vencidos por problemas e dificuldades terrenas, mas seremos fortalecidos pela esperança e confiança da solução divina no momento em que o próprio Deus julgar ser correto agir em nosso favor. “Deus sabe, Deus ouve, Deus vê”. Tenha sempre isso em mente!

Gladys Angélica

Faça seu comentário
Article

Socialmente falando – Dom. 02/09

É comum ouvirmos cidadãos brasileiros descontentes com a ordem política de nosso país, essas pessoas conseguem olhar os problemas do Brasil de seu próprio ponto de vista e apontar os defeitos do governo em mais de um setor da convivência dessa sociedade. Em compensação existem nacionalistas que defendem pontos específicos da famosa “liberdade” que temos por aqui quando outros países não possuem o mesmo, olhando de outro ponto de vista pode-se ver vantagens ótimas para viver no Brasil.

Curiosamente alguém de outro lugar do planeta pode possuir ambos os pontos de vista ou nenhum deles. Comparar a vida de um chinês na China ou de um africano na África com a vida de um brasileiro se torna algo interessante, algumas pessoas de ambos os países dariam tudo para trocarem de nacionalidade com um brasileiro.

Mas afinal, estamos falando de diferenças culturais ou de diferentes pontos de vista?

A resposta é: Estamos vendo ambas as coisas.

É muito comum viver rodeado por pessoas de diferentes culturas e diferentes pontos de vista aqui no Brasil. Certamente isso se reflete na igreja.

Não importa se você vai encontrar alguém que pensa diferente de você ou alguém que possua uma cultura diferente, todos são importantes para Deus na mesma medida, todos devem ser respeitados mutuamente.

Infelizmente temos o péssimo costume de criar posições de hierarquia em tudo que envolve um conjunto de pessoas. Lembro-me que uma vez os discípulos brigavam entre si para saber qual dentre eles seria o maior no céu, não foram apenas duas ou três vezes que eles tiveram esse tipo de discussão, foram várias vezes, e Jesus, em Sua mansidão procurava mudar a concepção de hierarquia que estava plantada neles. Na Terra há reis e governadores, nobres e servos, ricos e pobres, no Céu não será assim, todos serão servos de todos. Se o vosso Senhor Se vez servo como podeis esperar ser mais do que seu Senhor?

Deus instituiu líderes e pastores para guiar o rebanho, em outra palavras são servos dos demais. Não deve haver superioridade ou inferioridade, mas trabalho de todos para com todos.

“Lidar com pessoas é um trabalho delicado. Os líderes precisam diagnosticar cuidadosamente a condição de seus seguidores, ter sensibilidade para perceber se o seguidor está aberto à correção e escolher o momento certo e aplicar o remédio adequado. Acima de tudo, os líderes devem examinar a si mesmos antes de tentar corrigir os outros. …Leigos reconheçam vossos líderes, ouçam e os respeitem com apreço.” (Adaptação da Lição dos Jovens)

“Cristo espera que os membros da igreja ‘vivam em paz uns com os outros’. Isso é fundamental para o testemunho e a adoração. Não é necessário concordar uns com os outros em todos os pontos nem ter personalidades semelhantes e vida em comum. A essência desse ensino consiste em demonstrar que, em Cristo, pessoas podem viver em paz a despeito de suas diferenças de opinião, educação, cultura e estilo de vida.” (Lição do Jovens).

Saibamos regozijar-nos sempre, orar sem cessar, em tudo dar graças, possuir o Espírito Santo em nós, entender as profecias, julgar todas as coisas retendo o que é bom e abster-nos de tudo que é mal. (I Tessalonicenses 5:16-22)

Assim unidos em amor com respeito uns pelos outros façamos avançar a causa de Deus conforme vivemos como o Senhor deseja que vivamos.

Gladys Angélica

Faça seu comentário
Article

A morte já não existirá – Dom. 19/08

A morte não é o capítulo final na vida de um seguidor de Deus, mas apenas uma separação temporária que dará lugar a uma reunião gloriosa na manhã da ressurreição. (Lição dos Jovens).

Sempre gostei do fato de ter nascido na Igreja Adventista. Ter plena convicção de conhecer a verdade em suma me fazia vibrar de alegria. Certamente a verdade claramente compreendida é eficaz o bastante para levar uma pessoa aos pés de Cristo.

É óbvio que eu imaginava que explicar a alguém as verdades bíblicas é uma coisa simples e fácil. Conforme fui crescendo veio a percepção de que a realidade é mais cruel do que se imagina. A mentira foi tão misturada com a verdade que o discernimento de muita gente ficou corrompido e qualquer pessoa por maior que seja o seu conhecimento é vulnerável ao engano sem o auxílio do Senhor Jesus.

Tenho amigas que acreditam na reencarnação ou na ida ao céu ou ao inverno depois da morte. Duro é explicar detalhadamente o mistério por trás da morte sem tocar em pontos doutrinários cruciais para uma mente humana.

Durante muito tempo não pude combater os argumentos em prol da existência do purgatório. Como explicar para um católico que foi a igreja católica que inventou a teoria da existência desse lugar?

Numa conversa do gênero decidi perguntar a minha amiga qual seria a razão lógica para a existência de um purgatório (?). Ela me respondeu que deve haver um momento em que Deus deve julgar a conduta da pessoa para decidir se ela vai para o céu ou para o inferno. Perguntei se ela não acreditava na volta de Jesus (?). Graças ao céus ela respondeu que sim. Mas se de fato houvesse a existência de um purgatório para que Jesus voltaria? Afinal Ele pode levar pessoas para o céu ou mandar para o inferno se seguisse essa lógica. Se Cristo já julga alguém no momento de sua morte não há necessidade de voltar para realizar o famoso “Juízo Final”.

Expliquei para minha amiga que Cristo já se encontra julgando toda a humanidade, passando pelos que já morreram, pelos vivos e por aqueles que ainda virão depois de nós, esse é o ministério de Cristo no lugar “Santíssimo” do santuário celestial, que teve seu início no ano de 1844. Cristo é o nosso Sumo Sacerdote que semelhante aos sacerdotes do passado faziam expiação pelo povo de Deus.

Meu pai sempre diz que grande parte dos enganos de Satanás surgiram no próprio Éden. Deus disse: “Se comeres do fruto da árvore que está no meio do jardim, certamente morrerás.” Vindo a serpente (o Diabo) disse o contrário: “Se comeres não morrereis”. Tendo Satanás dito que Eva não iria morrer e que na verdade passaria a ter um novo grau de existência ele já dizia que a alma do ser humano não morre.

“Os mortos não sabem coisa alguma” (Eclesiastes 9:5) eles apenas dormem. “Pois dada a ordem, com a voz do arcanjo e o ressoar da trombeta de Deus, o próprio Senhor descerá dos céus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro” (I Ts 4:16).

Esse é o motivo da vinda de Cristo, primeiramente levar os salvos que foram justificados pelo sacrifício de Cristo e depois de mil anos abrindo livro após livro perante os salvos voltar a Terra para trazer condenação aos perdidos.

“E Deus limpará de seus olhos toda a lágrima; e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor, porque já as primeiras coisas são passadas.” Ap 21:4.

É por isso que a nossa “Grande Esperança” está na volta do Senhor Jesus, pois a morte já não existirá para os salvos no Senhor, a morte que lamentamos aqui é momentânea pois a nossa esperança está na vida eterna que haverá de começar quando Deus concretizar o plano da redenção. “Precisamos levar a mensagem da vinda de Cristo a todos e precisamos estar preparados para viver com Ele para sempre.” (Lição dos Jovens).

Gladys Angélica

Faça seu comentário
Article

A Melhor Escolha – Dom. 12/08

Falar sobre santidade ou santificação é algo complexo de se explicar com palavras pessoais. Situações correspondentes ao pensamento do que significa andar em santidade variam muito de acordo com cada ponto de vista.

A Bíblia revela apenas um ponto de vista, mesmo assim, sempre damos um jeitinho de adaptar a interpretação com a nossa vontade.

O versículo é claro: “Sede santos, porque eu sou santo” I Pe 1:16. Analisando o simbolismo de santidade correspondente a pessoa de Deus devemos simplesmente ser como Ele é. Não se assuste, na prática sabemos que não é simples assim.

Certa vez eu estava oferecendo livros sobre saúde na colportagem quando encontrei um indagador interessante. Ele dizia que era impossível seguir todas as regras a respeito da saúde, limpar bem os alimentos, ingerí-los sem agrotóxicos, consumí-los sem gastar muito, encontrá-los em qualquer lugar… essas coisas. Curiosamente ele disse que era algo semelhante a seguir os dez mandamentos, é impossível obedecer a todos, e a Bíblia ainda diz que se você tropeça em um você tropeça em todos. Como seria possível andar em santidade sem falhar?

Na verdade, nós sabemos que nada é impossível para Deus. Realmente é impossível seguir essas normas de condutas por nós mesmos. É por isso que Deus proveu o remédio, “Sedes santos como eu sou santo”. Deus nos reveste com o manto da justiça de Cristo depositando nossas falhas na cruz do calvário. A única forma de fazer com que nossas faltas não nos afogue nas ondas do fracasso é contando com a ajuda do Senhor, é através do Espírito Santo que nos convence do pecado que deixamos de transgredir a Lei e é em Cristo que nosso pecado deixa de existir quando transgredimos.

No livro de Gálatas capítulo 5 encontramos a explicação mais lógica e perfeita entre o contraste de uma vida que anda em santidade de uma que segue suas próprias intuições. “Ora, as obras da carne são conhecidas e são: prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, ciúmes, iras, discórdias, dissensões, facções, invejas, bebedices, glutonarias e coisas semelhantes a estas, a respeito das quais eu vos declaro, como já, outrora, vos preveni, que não herdarão o reino de Deus os quais tais coisas praticam. Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio. Contra essas coisas não há lei.” Gl 5:19-23.

Ué… pensei ter lido que quem prática as obras da carne não herdarão o reino de Deus. Se de fato é assim porque hoje a ‘prostituição’, a ‘lascívia’ (ato de provocar o desejo sexual) e a ‘impureza’ são comportamentos comuns e relevantes na sociedade moderna? Na verdade é o contrário. Aqueles que não praticam sexo casual ou com os namorados e namoradas estão por fora do conceito natural das coisas. Preservar-se para o casamento virou banalidade entre aquilo que define “curtir a vida” ou “ser feliz”.

A ‘prostituição’ é algo que Deus abomina. Quando o Senhor decidiu destruir Sodoma e Gomorra era por causa da perversão sexual que ocorria naquela cidade. A coisa era tão intensa que os moradores da cidade queriam ‘abusar’ dos anjos de Deus que estavam na casa de Ló para tirá-lo de lá. A moral estava tão corrompida que depois da destruição de tudo e da perda da esposa de Ló, as filhas dele o embebedaram para ter relações sexuais com o próprio pai afim de dar continuidade ao nome da família. (Não deixe de ler a história completa na Bíblia).

No livro “Mente, Caráter e Personalidade” da Ellen White você encontrará muito a respeito da degradação moral que a incorruptibilidade a respeito da sexualidade causa na mente humana. É algo tão profundo que quem passa a praticar essa imoralidade não vê mal algum no que faz ou deixa de fazer. Passa a ser normal dormir com uma pessoa e com outra diferente amanhã.

“Pois esta é a vontade de Deus; a vossa santificação, que vos abstenhais da prostituição; que cada um de vós saiba possuir o próprio corpo em santificação e honra, não com o desejo de lascívia, como os gentios que não conhecem a Deus (…) porquanto Deus não nos chamou para a impureza, e sim para a santificação.” I Ts 4:3-7.

Aos olhos humanos seguir o conceito do que o mundo diz hoje ser bom, “curtir a vida”, “ser feliz”, “não tem nada de mal” parece ser uma boa escolha, mas seguir o conselho divino é uma escolha melhor ainda. A preservação da sexualidade para o casamento influirá numa felicidade muito superior do que agora os jovens podem prever. “Deus criou o sexo para ser praticado somente dentro da relação do casamento. Para Ele o casamento deve ser honrado por todos; o leito conjugal, conservado puro; pois Deus julgará os imorais e os adúlteros.

Em um mundo assolado pelo incontrolável desejo e perversão sexual, Deus deseja que Seus seguidores tenham vidas santas, sexualmente puras e que edifiquem uns aos outros.” (Lição dos Jovens).

A precisão dos conselhos do Senhor resultará apenas no melhor para você. Suas orientações foram, são e serão sempre suficientes para prover o melhor para nós.

Escolha seguir as orientações do Mestre.

Gladys Angélica

Faça seu comentário