Archive by Author
Article

Na Cruz – Dom. 15/01

Alguns objetos ou gestos são usados para simbolizar uma intenção, um sentimento, uma escolha. Temos como exemplo a aliança, ela é lembrada no uso de um anel de ouro, fala de um compromisso, do amor. Quando alguém junta as pontas dos polegares e vira as pontas para baixo, em seguida uni as pontas dos outros dedos, indicador com indicador, médio com o médio, anelar com anelar, e os mínimos também se tocam nas pontas virados para baixo, os dez ligeiramente curvos finalizam o gesto. O que é possível formar com toda essa manobra? Lendo assim pode até parecer difícil ou meio louco fazer tudo isso para formar um coração com as mãos.

A cruz também é um símbolo pouco compreendido por nós, para a maioria é até meio louco o que ela representa, o que ela está veementemente ressaltando e com avidez tentando nos atrair para outro ponto. É complexo para um ser falho digerir a ideia de que só a morte seria capaz de evitar a morte, mas não qualquer morte.

É bem verdade que às vezes quando alguém age com amor é chamado de louco, e quem observa de fora diz não compreender o que acontece, ou o que aconteceu com aquela pessoa que está estranhamente diferente. Essa pessoa está beneficamente infectada pelo amor. Visto de fora, o amor não é apenas estranho, pode até ser sem sentido e paradoxalmente uma fuga. Pois quem não ama se gaba de sua liberdade, não nota que jamais experimentou a liberdade.

Só o amor é capaz de gestos escandalosos, estranhos e paradoxais. O que você sente ao olhar para a história que modelou a cruz erigida sobre o Monte Calvário? Você acha tudo muito normal, ou apenas diz que é uma história de amor? Digo apenas uma história de amor, porque em geral cometemos o grave erro de nivelar o amor de um Deus redentor com o nosso pálido conceito de amor.

Como compreender um amor que para resgatar se oferta como pagamento? Como entender um amor que busca quem O rejeita? Como decifrar um amor que não foi afetado pela rejeição. Poderíamos até cometer o erro de dizer que esse amor até se expandiu ao notar nossa queda, isso não pode acontecer com o amor de Deus por nós, porque nunca existiu um instante que Ele nos amou menos do que nos ama hoje. Jamais houve um tempo onde Deus amou menos a humanidade, nem se esse tempo for comparado com os momentos que o próprio Deus esteve na cruz. O que aconteceu ali foi o resultado de seu eterno amor, imutável amor.

O que passa em sua mente ou em seu coração quando você lê o texto de João 3:16? Que efeito essas palavras têm sobre sua vida? “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.”

Deus o abençoe,

Léo Fontes

Faça seu comentário
Article

Semana da Criação – Dom. 08/01

O acaso não é uma possibilidade. Imagino que você já tenha ouvido a frase “nada acontece por acaso”, não é necessário uma porção maior do que a de um pequeno grão de fé para saber que o acaso não é o responsável por você e eu estarmos aqui. Um simples olhar, um breve giro, uma pequena pausa já bastam para notarmos que o simples nascer e adormecer do sol entrelaça muitos acontecimentos.

“Os céus declaram a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das suas mãos. Um dia faz declaração a outro dia, e uma noite mostra sabedoria a outra noite. Não há linguagem nem fala onde não se ouça a sua voz”. Salmos 19:1-3

As coisas não surgem do nada, explosões não são capazes de criar, uma sopa não contem os ingredientes necessários e nem a combinação precisa para criar tão espetacular planeta. Mesmo sob agressões humanas esse mundo ainda se apresenta espantosamente complexo e lindo. Não é apenas triste que os homens destruam o planeta que os abriga, mais triste ainda e sem sentido é tentar apagar seu Criador.

“Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte; Nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas no velador, e dá luz a todos que estão na casa. Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus”. Mateus 5:14-16.

Outra frase que eu acredito que você já ouviu ou até mesmo disse é “só o amor constrói”, e eu também creio nessa afirmação, veja porque: “E nós conhecemos, e cremos no amor que Deus nos tem. Deus é amor; e quem está em amor está em Deus, e Deus nele”. 1 João 4:16. Também em 1 João 4:8 vemos que Deus é amor.

Foi o Amor Quem construiu em uma semana nosso planeta, foi o Amor Quem nos modelou do barro e em nós soprou a vida. É O Amor Quem nos diz a todo instante que nos ama, Ele diz que criou esse lindo mundo e que muito em breve irá recriá-lo.

Ele tem um plano lindo, e você está em Seu plano, em Seu coração. Que Ele seja o primeiro no meu e no seu coração.

Fique na Paz.

Léo Fontes

Faça seu comentário
Article

A Unicidade de Deus – Dom. 01/01

Todos somos adoradores. Talvez você seja inclinado a pensar que estou errando por generalizar ou exagerando em afirmar que todos neste super populoso planeta se inclinam em adoração. Em geral quando alguém diz que é um adorador está se referindo à Deus como o alvo de sua adoração, pois é, como eu disse, isso é uma ideia da maioria e maioria não é totalidade.

Não é difícil perceber que cada ser humano tenha intrínseco em seu ser à necessidade de adorar, de exaltar, de prestar culto a alguém superior. Essa necessidade pode ser chamada de lacuna, de um espaço especifico que precisa de determinado volume que o preencha plenamente.

É primordial conhecer o único que É capaz de ocupar tal posto, o trono de nosso coração. Do contrário jamais seremos plenos, e nem tão pouco realizados.

Perceba que todos estão em busca da felicidade, vivemos por um motivo, e passamos a vida inteira tentando alcançar esse alvo tão sublime. Embora nem todos saibam o que estão procurando, é fácil perceber que existe uma inquietação pulsante em todo coração.

Eu sei que não existem duas pessoas iguais, mas isto não quer dizer que sejamos totalmente diferentes uns dos outros. Pensando sobre isto que quero chamar sua atenção para o ponto que nos iguala, que nos coloca no mesmo barco, dentro da mesma história, participantes do espetáculo, tendo todos o mesmo papel, a mesma função. Somos adoradores. Tentarei agora ser mais claro, mais direto.

O simples fato de todos termos uma lacuna com o mesmo formato, e todos termos a necessidade de preenchê-la não quer dizer que todos faremos a mesma escolha. Mesmo que eu me negue em colocar o verdadeiro Deus dentro deste espaço determinado em meu ser, o formato da lacuna não mudará. Não alcançarei a felicidade, não serei pleno se tentar colocar qualquer outro deus no lugar que é reservado unicamente para o único Deus.

“Ouve, Israel, o SENHOR nosso Deus é o único SENHOR. Amarás, pois, o SENHOR teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças. E estas palavras, que hoje te ordeno, estarão no teu coração”; Deuteronômio 6:4-6.

Influenciados por Satanás os homens criam vários deuses com o objetivo de nos desviar da direção certa. Deus é o alvo certo onde devermos mirar, o único à Quem devemos adorar e nos inclinar, o único capaz de nos socorrer, de nos salvar. Ele É o EU SOU.

“Então disse Moisés a Deus: Eis que quando eu for aos filhos de Israel, e lhes disser: O Deus de vossos pais me enviou a vós; e eles me disserem: Qual é o seu nome? Que lhes direi?

E disse Deus a Moisés: EU SOU O QUE SOU. Disse mais: Assim dirás aos filhos de Israel: EU SOU me enviou a vós.

E Deus disse mais a Moisés: Assim dirás aos filhos de Israel: O SENHOR Deus de vossos pais, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque, e o Deus de Jacó, me enviou a vós; este é meu nome eternamente, e este é meu memorial de geração em geração”. Êxodo 3:13-15

Um abraço

Léo Fontes

Faça seu comentário